terça-feira, 11 de abril de 2017

A SOCIEDADE BRASILEIRA ENTRE VALORES MODERNOS E VALORES MERCANTIS

O processo de industrialização tardia no Brasil transcorrido nas décadas de 1930 e 1980 foi desprovido de reformas clássicas do capitalismo contemporâneo (agrária, tributária e social), o que resultou em padrão de sociabilidade profundamente deformado. Sem regime democrático sustentado no tempo, a desigualdade prevaleceu secundarizada, tanto pela mobilidade social como pelo consumismo.

Por Marcio Pochmann e William Nozaki

Desde o final do século passado, o avanço da desindustrialização paralelamente à generalização das ocupações de serviços parecia apontar para outro padrão de sociabilidade. A sustentabilidade democrática patrocinadora do desenvolvimento distributivista produziu importante luta entre os valores modernos e mercantis.


Diante disso, o presente ensaio pretende oferecer elementos que possam contribuir no entendimento da percepção e valores dos trabalhadores de serviços residentes na periferia de São Paulo. Conforme registra a mais recente pesquisa da Fundação Perseu Abramo, seus valores e percepção distinguem-se da antiga classe trabalhadora industrial.

LEIA textos abaixo e entenda melhor a linha desenvolvimentista da sociedade brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário