segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

CONSUMISMO? EDUCAÇÃO FINANCEIRA VEM DE CASA...

O primeiro passo para ajudar os filhos é buscar ser um exemplo. A psicóloga Tatiane Fidelis da Silva Foltran explica que a convivência familiar influencia diretamente no comportamento dos jovens.

“Os pais devem ensinar os filhos a valorizarem o dinheiro desde cedo, devem conversar e explicar como fazem o orçamento da casa e, sobretudo, mostrar por meio de atitudes que são pessoas financeiramente equilibradas. Se há compulsão no ambiente familiar pelas compras é certo que haverá chances daquele jovem adquirir a mesma característica”, destaca.

A contribuição dos pais começa desde os primeiros anos de idade, ao estabelecer valores éticos e padrões comportamentais para os filhos. Contudo, além de ficar atento no modelo de criação que se dá, é necessário que os pais verifiquem se estão transferindo para as crianças a responsabilidade de viverem os sonhos que não viveram ou de terem aquilo que não tiveram na infância. “Esse também é um comportamento prejudicial porque futuramente as crianças podem se tornar pessoas acumuladoras e sem limites”, salienta a economista.

Uma das práticas mais comuns ensinadas aos pais ou responsáveis para reduzir o consumismo desenfreado é a troca de algo “velho” por algo novo. Ensina-se a criança que para ganhar, por exemplo, um brinquedo novo ela terá que escolher um brinquedo antigo para doar.

Mudança de hábito e conscientização

Caso não haja uma mudança de atitude, com certeza as próximas gerações vão consumir mais e serão formadas pessoas frustradas que dependem apenas de coisas materiais para ter a sensação de felicidade.

Por isso, se você é jovem e tem depositado sua felicidade no prazer de consumir, busque eliminar esse hábito a partir de hoje. Se pergunte: o que de fato eu preciso para ter uma vida boa? A autorrealização não vem do ter, mas do ser. Busque substituir a necessidade de comprar pelo desejo de se conhecer.

Dez dicas práticas para deixar de ser consumista

1- Evite ir às compras em situações de picos de humor (quando estiver muito feliz ou muito triste)
2- Tenha uma planilha com todas as suas despesas, para evitar gastos desnecessários.
3- Faça pesquisas de preços antes de fechar suas compras.
4- Antes de encerrar a compra, pense novamente se necessita dela e se precisa dela naquele momento.
5- Aprenda a lidar com um orçamento restrito e a estabelecer prioridades.
6- Sempre que comprar algo novo, encontre algo “velho” que possa se desfazer, mas não compre pela troca.
7- Evite adquirir coisas sem antes prová-las. Mesmo que o preço seja atraente, avalie se o produto será utilizado.
8- Identifique os motivos reais de querer fazer determinada compra, pois ela pode ser apenas reflexo de uma insatisfação pessoal.
9- Evite sair com cartões de crédito, use dinheiro em espécie e realize pagamentos à vista.
10- Ocupe-se com novas atividades que não estejam relacionadas ao dinheiro ou às compras.

por Ana Carolina Cury / edição 1297 Folha Universal

Nenhum comentário:

Postar um comentário