quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

CAICÓ: COM SALÁRIOS ATRASADOS, SERVIDORES MUNICIPAIS PODERÃO DECRETAR GREVE GERAL E ANO LETIVO DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO PODERÁ NÃO COMEÇAR

Sem proposta aceitável para pagar salários atrasados, Governo Batata começa mal sua relação com servidores municipais e suas entidades representativas, e tenciona negociações

Insatisfeitos, servidores de várias categorias foram até o Centro Administrativo reivindicar proposta coerente para pagamento de salários atrasados (Foto Marcos Dantas)

As entidades sindicais até que tentaram fazer diferente, mas os representantes do prefeito Batata em Caicó já deram o tom de como será a relação entre Governo, secretários, servidores e suas entidades representativas. Pela forma como estes se comportaram nas reuniões que buscou negociar o pagamento dos salários atrasados aos servidores municipais, ficou claro que a intenção da Gestão e de endurecer a relação, apoiados por premissas de arrogância, imposições e unilateralidade quanto aos interesses da administração e dos funcionários municipais.

Achando que têm o controle da situação, prefeito e secretários até agora não apresentaram nenhuma proposta viável, justa e aceitável para atender ao direito dos servidores de receberem os salários atrasados de 2016, situação esta que só aumenta a insatisfação do funcionalismo e eleva o grau de desconfiança quanto as reais intenções do Governo no que diz respeito à valorização salarial e profissional dos servidores.

Na última reunião acontecida na tarde de quarta-feira (18) os secretários representantes da administração insistiram em manter uma proposta descabida, incestuosa e desrespeitosa para pagar aos servidores os salários de 2016, argumentando de forma arbitrária condições que em nada se diferencia dos governos anteriores quando o assunto é valorizar e atender as demandas justas dos funcionários públicos. Sobrou diálogo de intenções duvidosas, faltou bom senso governamental.

Diante o quadro precoce de agravamento da relação político-administrativa entre governo, servidores e sindicatos e, em se mantendo tal situação sem nenhuma solução honrosa e convincentemente negociável, servidores municipais decidiram em assembleia geral extraordinária realizada na manhã desta quinta-feira (19) por uma Parada de Advertência que poderá culminar em Greve Geral, caso a prefeitura não flexibilize a proposta até agora apresentada em função de encontrar, conjuntamente, a melhor solução para o pagamento aos funcionários municipais.

Sem salários não há serviço público decente!


Nenhum comentário:

Postar um comentário