segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

ASMA MATA CERCA DE TRÊS PESSOAS POR DIA NO BRASIL

Doença atinge em torno de 10% da população do País

A asma é uma das doenças respiratórias que mais predominam no mundo. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que mundialmente 300 milhões de pessoas, incluindo crianças, sofram com o problema.

Segundo dados do Ministério da Saúde, a doença mata aproximadamente três pessoas por dia no Brasil. Ela atinge cerca de 10% da população brasileira e é uma das principais causas de internamentos no Sistema Único de Saúde (SUS), calcula o ministério.

A asma é caracterizada pela falta de ar, ansiedade, chiado e sensação de aperto no peito e tosse. Esses sintomas ocorrem porque a doença afeta as vias respiratórias e o pulmão. O problema se intensifica quando os brônquios, que são os responsáveis em levar o ar aos pulmões, ficam sensíveis e mais propensos a infecções. Esses sintomas são sentidos principalmente quando a pessoa se expõe ao ar frio, à mudança de temperatura e fumaça, aos ácaros e fungos e até a fortes odores.

É comum que se confunda asma com bronquite. Diferentemente da asma, a bronquite tem como característica a presença de catarro e tosse.

“A asma se inicia na infância, na maioria das vezes, antes dos três anos de idade. Há uma tendência de melhora até antes da puberdade e assim torna-se menos frequente no adulto”, explica o médico Nelson Rosário Filho, diretor da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai).

Ele explica que muitos não compreendem a natureza da doença e por isso não fazem o tratamento adequado. “A medicação por via inalatória é a melhor rota de administração de medicamentos para asma. Mitos como o que diz que a bombinha afeta o coração fazem com que alguns pacientes fiquem receosos e abandonem o uso da medicação. O tratamento de manutenção é prolongado e a falta de adesão ao tratamento se torna um obstáculo para o controle da doença. Sabe-se que a agudização da doença proporciona risco de novas crises. Por isso há necessidade de uso regular de medicação controladora do processo inflamatório, que é o centro do problema”, conta o especialista.

Fatores externos

O tratamento não é feito apenas com o uso de medicamentos, mas com a diminuição do contato com alérgenos e fatores irritantes, como fumaça de cigarro, poeira doméstica, animais e ambientes úmidos e com mofo.

O especialista conclui que adultos e crianças podem ter uma vida normal, participar de atividades físicas sem limitações e ter um sono regular. Basta fazer o uso correto da medicação. “Ter a participação ativa do médico nesse acompanhamento é fundamental para melhorar a qualidade de vida”, completa.

Remédios

O governo federal, por meio do Programa Farmácia Popular do Brasil, distribui gratuitamente ou a preço mais acessível medicamentos para as principais doenças crônicas prevalentes no País, como a asma.

Os remédios estão disponíveis tanto na rede própria do programa quanto nas farmácias da rede privada credenciadas. A iniciativa visa auxiliar o maior número de pessoas que têm dificuldade de manter o tratamento por causa do alto preço dos medicamentos.

Por Michele Francisco / edição 1293 Folha Universal

Nenhum comentário:

Postar um comentário