quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

OS BENEFÍCIOS DO ALHO

Estudos mostram que algumas variedades processadas de alho perdem quase todas as propriedades benéficas

Por Mauro Ramos, no Brasil de Fato

Chá de alho, mel e limão é um ótimo remédio caseiro contra gripes e resfriados Reprodução

O Alho é um dos alimentos mais presentes na cozinha brasileira. Em média no Brasil consomem-se 300 mil toneladas de alho por ano, sendo que o país, na última safra, produziu 111,8 mil toneladas.

Além de ser utilizado em diversas comidas por seu sabor, o alho possui propriedades que inibem o crescimento de bactérias e vírus, além de ajudar a fortalecer o sistema imunológico. A alicina, um composto presente no alho, funciona como um potente anti-inflamatório e ajuda a baixar os níveis de colesterol e pressão arterial.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, vários estudos mostram uma associação entre o aumento da ingestão de alho e a redução no risco de certos tipos de câncer, como o câncer de estômago, cólon, esôfago, pâncreas e mama.

Mas nem todas as formas de consumir alho produzem estes benefícios para a saúde. Para aproveitá-lo ao máximo é preciso ingeri-lo cru. Segundo estudo da Fapesp - Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Sao Paulo, “o alimento perde praticamente todas as suas propriedades funcionais dependendo do tipo de processamento ao qual é submetido”

Na pesquisa, foi analisada a presença de alicina em três processos de industrialização do alimento: picado e frito, fatiado e frito e em forma de pasta. Seis meses após preparada, houve redução do teor de alicia na pasta de alho de cerca de 30%.

Nas formas fritas, após os 45 primeiros dias, esta substância já era praticamente inexistente, segundo a coordenadora do estudo, a agrônoma Patricia Prati. A Organização Mundial da Saúde recomenda para adultos o consumo diário de 2 a 5 gramas de alho fresco (aproximadamente um dente de alho), que pode ser ingerido com água, chás ou sucos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário