sexta-feira, 11 de novembro de 2016

SONEGAÇÃO FISCAL NO BRASIL REPRESENTA CERCA DE 13% DO PRODUTO INTERNO BRUTO (PIB)

ROMBO DE GRANDES EMPRESAS É DE R$ 1,4 TRILHÃO

Segundo dados do Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz). Preocupado com a situação, o deputado Chico Lopes (PCdoB-CE) propôs a realização de audiência pública na Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara para debater a sonegação fiscal e a recuperação de receitas públicas.

O problema da sonegação no Brasil se verifica, em sua maior parte, pelas grandes empresas, uma vez que os pequenos empresários e os trabalhadores pagam os seus impostos com desconto direto na fonte ou quando compram mercadorias.

O deputado ressalta que o saldo da Dívida Ativa da União registrou R$1,162 trilhão apenas de débitos tributários até o mês de julho deste ano. Isto, sem incluir os não tributários, que superam a cifra de R$ 300 bilhões, de acordo com o Sinprofaz.

A maior parte desses débitos (62% ou R$ 723,3 bilhões) pertence a cerca de 12 mil empresas. Juntos, apenas os 500 maiores devedores da União acumulam débitos de R$ 392,3 bilhões.

Para Lopes, um Estado sério não pode permitir essa situação, que penaliza a camada mais pobre da população. "Portanto, esse evento é em defesa do Estado e em defesa das pessoas que necessitam que o Estado tenha os impostos para voltar em forma de bens e serviços”.

Até meados de 2016, o País havia deixado de recolher mais de R$ 286 bilhões, segundo o "sonegômetro", instrumento criado pelo Sinprofaz. "Como comparação, este valor é 40 vezes maior que o orçamento do programa Minha Casa, Minha Vida, e nove vezes maior que os recursos destinados ao Bolsa-família", alerta o deputado Chico Lopes.

Fonte: Assessoria do parlamentar

Nenhum comentário:

Postar um comentário