quarta-feira, 2 de novembro de 2016

GOVERNO TEMER AGORA AUMENTA PREÇO DO GÁS

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, disse ontem (1) que as reações das distribuidoras de gás de botijão aos novos contratos de fornecimento devem ser "contidas" e não devem acarretar reajuste de preços ao consumidor maior que R$ 0,50 por botijão de uso residencial.

Arquivo/Agência Brasil

A estatal anunciou, mais cedo, que o botijão deve ficar até R$ 0,70 mais caro, em média, porque a companhia revisou custos de logística com o produto que antes eram subsidiados.

A expectativa dele é que as distribuidoras repassem ao consumidor apenas o custo do fim do subsídio, sem aproveitar para fazer revisão do preço final. O presidente da estatal lembrou que os preços da gasolina e do diesel, que caíram na refinaria recentemente, não foram repassados ao consumidor, que ficou sem o desconto na bomba.

"É preciso criar no país um ambiente propício ao investimento, se você tem subsídios cruzados dentro da estrutura de logística, não existe esse ambiente", avaliou.

No caso do gás de botijão, Parente explicou que até então a estatal não cobrava pelo uso de tanques e dutos. "Em relação às empresas de gás, [é uma medida] para que elas paguem um preço justo pela infraestrutura que utilizam". Ele negou qualquer aumento de preços nas refinarias.

 Fonte: Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário