segunda-feira, 17 de outubro de 2016

CONVERSANDO: ESTUDO MOSTRA QUE QUEM RESPONDE “ANRAN” SÓ OUVE 10% DO QUE OUTRO DIZ

Ao se sentar para conversa com alguém: um amigo, um filho, um companheiro ou um colega de trabalho, com que frequência você está realmente pensando em mais nada que não sejam as palavras que estão saindo da boca dele? Não é muito frequente que esteja atento à conversa. Lembre-se de que nestes instantes você não está sozinho.

Estudo mostra que ouvimos apenas cerca de 10% do que o outro fala e aí é que saí o involuntário “anrãn”.  Porque estamos tão distraídos com a cacofonia de nossas redes sociais e Tweets de nossos Smartphones, para não mencionar a nossa crescente lista de tarefas. Todas essas energias invasoras concorrem para falar e ouvir por nós. O outro que espere a sua vez. E se não estamos distraídos pela tecnologia, nossos próprios pensamentos pode nos impedir de ouvir a outra pessoa. Muitas vezes pensamos que estamos ouvindo, mas na verdade estamos apenas considerando o momento certo para pular a história do outro e contar a nossa própria história, oferecer conselhos, ou mesmo fazer um julgamento, em outras palavras, não estamos dispostos a ouvir para compreender, mas sim para responder.

A escuta ativa é uma habilidade essencial e uma das melhores maneiras de se conectar com outra pessoa. A boa notícia é que é uma habilidade que pode ser melhorado com algum esforço. Também vale ressaltar que há uma nítida diferença entre ouvir e escutar. A audição é um ato fisiológico; escuta envolve nossa capacidade de descodificar o significado das palavras e os silêncios entre elas.

O escritor holandês e professor, Henri Nouwen, escreveu certa vez: “Ouvir é muito mais do que permitir que outro fale enquanto espera por uma chance de responder … A beleza de ouvir é que, aqueles que são ouvidos começam a se sentir aceitos, começam a levar  suas palavras mais a sério e descobrir os seus próprios “eus” verdadeiros. Escutar é uma forma de espiritual hospitalidade pelo qual você convida estranhos para se tornar amigos “.

Por que ser um ouvinte ativo?

A investigação descobriu que a escuta ativa nos ajuda a focalizar e compreender os outros e também a melhorar nossas relações, promovendo a confiança.  E ainda reduz o conflito e aumenta a nossa capacidade de motivar e inspirar aqueles com quem estamos nos comunicando. Ouvir as histórias das pessoas, juntamente com o compartilhamento de nossa própria, pode nos levar a colocar a nossa atenção para o mundo de outra pessoa no sentido de fortalecer a cultura da conexão.

Há uma variedade de maneira que pode nos tornar melhores ouvintes. Veja abaixo algumas reflexões

Nenhum comentário:

Postar um comentário