terça-feira, 26 de julho de 2016

REPENSANDO E ATUALIZANDO O MARXISMO

O livro não é dos maiores – são apenas 114 páginas. Mas que páginas! E o título também pode induzir a uma interpretação incorreta: Repensando o marxismo não significa, como se poderia pensar, abandonando o marxismo mas, ao contrário, enriquecendo o marxismo.

Por José Carlos Ruy


A obra reúne reflexões teóricas sobre as contradições contemporâneas, a luta pela superação do capitalismo e o início da transição para o socialismo, um livro de nosso tempo.

A grandeza do livro pode ser aferida pelo extenso leque de temas que aborda, em profundidade. Temas fundamentais para a atualização, fortalecimento e enriquecimento do pensamento revolucionário. Que vão desde a chamada crise do socialismo e do marxismo; a redescoberta do pensamento de Hegel e sua importância para o materialismo moderno; a nova face do capitalismo; as mudanças na classe operária e sua necessária relação com outros trabalhadores assalariados; a feição moderna da luta de classes; a China, Mao Zedong e as condições da luta pelo socialismo.

Repensando o marxismo (que a Anita Garibaldi acaba de lançar) reúne reflexões teóricas sobre as contradições contemporâneas, a luta pela superação do capitalismo e o início da transição para o socialismo. E enfrenta com vigor a luta teórica que ocorre entre os trabalhadores, sobretudo entre a vanguarda organizada da classe operária e o conjunto da classe. Qual é o papel da vanguarda? Em que condições ocorre a direção exercida por ela e em que medida essa direção reflete, e se relaciona, com o conjunto da classe?

São algumas questões fundamentais, que Duarte Pereira enfrenta com a mesma profundidade e franqueza encontrada nos clássicos do marxismo.

A enorme qualidade deste livro é reunir textos que foram publicados esparsamente entre 1991 e 2008, em inúmeros periódicos populares e democráticos, tratando de questões candentes no momento em que foram escritos, mas que teriam repercussão teórica de largo alcance. Daí a importância de reuni-los em livro, facilitando o acesso a eles.

Foi em homenagem a este passado, de unidade e divergência, que Haroldo Lima organizou, generosamente, esta coletânea, com a concordância de Duarte Pereira. É um livro necessário.

Do Portal Vermelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário