quinta-feira, 21 de julho de 2016

CAICÓ: E A FESTA COMEÇOU!

É a Festa de Sant’Ana. Momento de confraternização, cultura, visitantes, a cidade entra na órbita dos grandes eventos, do consumo, de alegria, mas somos bem mais do que isso...

Por professor Antônio Neves

Festa de Sant'Ana é momento em que a cidade renova esperanças sem perder a noção dos seus prejuízos históricos

Em 2016 a Festa de Sant’Ana de Caicó se dará num momento crítico em nossa querida cidade. Crise hídrica, crise econômica, eleições municipais, certo teor de violência, cidade sucateada, falência dos governos municipal e estadual, ausência de políticas públicas nos setores estratégicos do nosso desenvolvimento econômico e social, e excesso de falsas promessas por parte de muitos dos atuais representantes que nunca se interessaram fazer, por todo esse tempo que estão no Poder, o que precisava ser feito para que hoje pudéssemos ter uma cidade melhor de se viver e receber aos que para aqui vêm confraternizar-se em júbilo de fé e reencontro.

Diante a força da nossa religiosidade, o momento é de fé e orações. Em meio aos problemas, anseios e perspectivas do futuro, a hora é de profundas reflexões sobre a realidade que nos cerca e nos impõe responsabilidades cívicas e cidadãs. Porém algo está posto de forma bastante crítica e provocativa: Ou mudamos nossa forma de pensar e gerir os destinos do nosso município, as relações de poder, os representantes políticos, a forma de governar e dialogar com as pessoas ou haveremos de penar por mais longos anos sob lamentações e cobranças, nunca atendidas, aos tradicionais grupos políticos que estabeleceram esse atraso permanente em todas as esferas do nosso desenvolvimento que parece nunca ter fim. Se o momento é de mudanças, precisamos está cientes sobre qual é o conteúdo qualitativo dessas mudanças, sob o risco de, se calcularmos errado, fazermos desta oportunidade mais um passo atrás diante nosso destino.

Do seu altar Mor, a padroeira Sant’Ana assiste a tudo com olhar de Mãe serena, mas sabe bem ela que somente nós, seus fieis e peregrinos, é quem temos o poder de mudar, para melhor, a realidade que hora tem incomodado sob vários aspectos. Não podemos fugir da responsabilidade política, social e humana de fazermos deste lugar um ambiente digno de se viver, acolhedor, verdadeiramente desenvolvido e feliz. Sim, é possível!

Então vivamos mais uma Festa de Sant’Ana, aproveitemos o momento religioso para orar ao Pai pra que tenhamos discernimento na hora de tomarmos as grandes decisões que estão por vir, principalmente aquelas que operam sobre os interesses coletivos de alcance social que abrange toda a sociedade. O individualismo, o egoísmo e a indiferença a si mesmo e ao próximo são elementos desagregadores que não ajudam os propósitos de uma cultura de paz, solidariedade e fraternidade, por isso, é sempre bom repetir em oração: “(...) abrigai-nos docemente, dentro em vosso coração”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário