segunda-feira, 25 de julho de 2016

AMAMENTAÇÃO E CONTROLE DO CORPO FEMININO

Para Gabriela Zanella, a amamentação é mais um processo fisiológico feminino que a sociedade transforma em polêmica, como o parto, a menopausa, o período menstrual e a sexualidade.

“A mulher é sempre vista como alguém que tem um defeito, que precisa de correção o tempo todo, incompleta. Assim, o parto vira um processo cirúrgico, a menopausa é um ‘prazo de validade’, a menstruação é algo que atrapalha a vida e não serve pra mais nada, a TPM transforma as mulheres em loucas que precisam ser controladas”, analisa.

A amamentação também é tabu sob a perspectiva de que o corpo feminino é moldado em função do prazer sexual masculino. Expor o seio para alimentar o bebê é considerado moralmente agressivo.

“Muitas mulheres estão acostumadas a terem seus corpos controlados e suas atitudes julgadas. Ainda é senso comum que a mulher que faz isso ‘pra se exibir’. Perguntam se ‘custa cobrir com um paninho’, ‘ir pra um cantinho", ‘dar o peito antes de sair de casa’”, exemplifica.

Diante deste contexto, a lei estadual dá visibilidade ao tema e procura convencer a sociedade do que parece óbvio: é preciso garantir o direito básico da mulher de amamentar seu filho em público. “A lei ajuda as mulheres a se fortalecerem e a aceitação da amamentação como prática natural e saudável”, acredita Gabriela Zanella.

Nenhum comentário:

Postar um comentário