segunda-feira, 20 de junho de 2016

UMA EM CADA QUATRO BRASILEIRAS QUE DÃO À LUZ SOFRE DE DEPRESSÃO PÓS-PARTO

Estudo mostra que o problema pode deixar graves sequelas em mães e filhos

Tristeza, alterações de humor, crises de choro, irritabilidade, baixa autoestima, diminuição do desejo sexual e desinteresse pelo bebê. São os sintomas mais comuns de depressão pós-parto, um problema sério que atinge uma em cada quatro mães que dão à luz no Brasil. Os dados são de uma pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz e publicada na revista científica Journal of Affective Disorders.

Para a pesquisa foram entrevistadas 23.896 mulheres, em 200 municípios brasileiros, no período de seis a 18 meses após o nascimento do bebê. As mães que mais apresentaram sintomas de depressão pós-parto são da cor parda, de baixa condição socioeconômica, com antecedentes de transtorno mental, hábitos não saudáveis, como o uso excessivo de álcool, e que não planejaram a gravidez. A depressão pós-parto traz inúmeras consequências ao vínculo da mãe com o bebê, sobretudo no que se refere ao aspecto afetivo. Isso faz com que a criança tenha maior risco de apresentar baixo peso e transtornos motores e cognitivos.

Violência obstétrica: O estudo aponta um elevado número de intervenções cesarianas: 46% pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e 88% no setor privado. Além disso, foi constatado um alto índice de intervenções dolorosas e desnecessárias no parto, como a episiotomia e a manobra de Kristeller, uso de ocitocina e menor frequência da utilização de analgesia obstétrica.

Tratamento: A ajuda e compreensão das pessoas próximas são importantes para as mães que apresentam esses sintomas. Não se intimide em procurar auxílio de um especialista para tratar do problema. Encare como um ato de amor pelo seu bebê.

Por Michele Francisco / edição 1263 Folha Universal

Nenhum comentário:

Postar um comentário