quarta-feira, 11 de maio de 2016

QUEREM O GOLPE PARA TIRAR DIREITOS DOS TRABALHADORES

O momento exige firmeza e confiança política na capacidade de luta e resistência do Povo Brasileiro
Estamos vivendo um importante momento da luta de classes no Brasil. Precisamos sair da confusão que tentam nos impor, para compreender os interesses em jogo. Temos que evitar a histeria promovida pela Rede Globo, que tem se colocado como importante condutora do processo golpista. Ao mesmo tempo, lembrar que a polarização da sociedade sempre existiu, entre índios e colonizadores, escravos e donos de escravos, patrões e empregados, pobres e ricos.
O povo sempre teve inimigos, e por isso, até hoje o Brasil é muito desigual, e a maior parte da sua população não tem acesso a saúde, educação, cultura, transporte, lazer, terra e moradia. Não é que faltem essas coisas no Brasil, teríamos condições de atender essas demandas, mas para isso, os que detêm as riquezas teriam que aceitar dividi-las. Leis devem ser feitas para isso, como para taxar grandes fortunas, heranças, as especulações, imóveis ociosos, e por aí vai.
Adentramos nesta polarização política, contudo, ainda em uma correlação de forças desfavorável aos trabalhadores em nível mundial e também no Brasil. Eles possuem os meios de comunicação, como a Globo, por exemplo, e setores alinhados no poder judiciário. Também no Congresso nacional, os deputados e senadores foram eleitos com dinheiro de grandes empresas, e, portanto, não votam conforme o interesse da grande maioria.
Querem realinhar o Brasil aos interesses dos EUA
Nesse momento e nessas condições, se consolida uma nova etapa da luta de classes no Brasil. Há setores que estão decididos a tirar Dilma, custe o que custar. É o caso dos que se beneficiam dos juros altos, da especulação financeira, e são contra reformas em nossa sociedade.
Querem realinhar o Brasil com os interesses do imperialismo estadunidense, retirar direitos da classe trabalhadora e criminalizar as lutas sociais. Pressionam o governo em várias frentes,  disputando a leitura dos fatos, a cabeça e o coração das pessoas, através dos meios de comunicação. No Congresso, impondo medidas neoliberais, que retiram direitos dos trabalhadores e jogam o peso da crise nas costas dos mais pobres.
Setores do judiciário e da polícia federal têm sido agentes políticos fundamentais dos interesses neoliberais. O núcleo central da operação Lava Jato tem objetivos claramente golpistas, afrontando e colocando em risco garantias constitucionais fundantes da democracia. Além disso, temos frações da classe média que foram ganhas para o projeto de restauração neoliberal.
É preciso reagir
Se não queremos que a crise recaia sobre os trabalhadores e os mais pobres; se não queremos que os avanços dos últimos anos retrocedam; precisaremos combinar a mobilização de massas com a ampliação da organização popular. Os trabalhadores contam, hoje, no Brasil, com a Frente Brasil Popular como ferramenta de unidade e luta da classe trabalhadora.
O momento exige firmeza e confiança política na capacidade de luta e resistência do Povo Brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário