segunda-feira, 30 de maio de 2016

CRIANÇAS PASSAM MENOS TEMPO AO AR LIVRE QUE UM PRESIDIÁRIO

No Brasil, 87% dos pais acreditam que seus filhos deveriam brincar mais

Jogar bola, correr, andar de bicicleta ou ir ao parque são atividades simples e essenciais para o desenvolvimento das crianças. Mas, com o avanço da tecnologia em todo o mundo, as brincadeiras tradicionais ao ar livre foram deixadas de lado, não só pelo desinteresse dos pequenos como por iniciativa de seus pais. A pesquisa Valor do Brincar Livre, elaborada em fevereiro deste ano, entrevistou 12 mil pessoas em 10 países. No Brasil, 87% dos pais acreditam que seus filhos deveriam ter mais tempo dedicado a brincadeiras. O maior empecilho apontado por eles no estudo, conduzido pela agência Edelman Berland, está na falta de espaços amigáveis para que seus filhos brinquem.

A pesquisa mostrou que a maioria das crianças só brinca em espaços abertos durante no máximo duas horas por dia. 6% delas nunca brincam fora de casa em um dia normal e nove em cada 10 pais gostariam que os filhos brincassem fazendo atividades físicas.

A pesquisa divulgou ainda um vídeo para ressaltar a importância do tempo ao ar livre. Nas imagens, homens de um presídio de segurança máxima nos Estados Unidos falam do significado de terem pelo menos duas horas ao ar livre.

Brincar é importante

As brincadeiras estimulam a coordenação motora, o desenvolvimento emocional e as regras de convivência. Os pais precisam ajudar os filhos com isso. O futuro deles não pode depender apenas de atividades extracurriculares. É primordial que eles aprendam a lidar com mundo "lá fora" para que sejam adultos melhores.
Por Michele Francisco / edição 1260 Folha Universal

Nenhum comentário:

Postar um comentário