quinta-feira, 14 de abril de 2016

CAICÓ: A GREVE É GRAVE, JUSTA E NECESSÁRIA.

Nada justifica ser injustiçado por uma lei que foi criada para fazer justiça.

Por professor Antônio Neves

   Nós professor@s da rede municipal de ensino de Caicó somos obrigados a mais uma vez, termos que decretar uma GREVE GERAL NA EDUCAÇÃO, e isso só se dá porque o atual gestor da nossa cidade tem feito vistas grossas para problemas que se acumulam a cada dia por falta de prioridade e vontade administrativa de se buscar resolve-los, como por exemplo, as péssimas condições estruturais das nossas escolas, problema este denunciado há anos e que nunca foi olhado com a devida responsabilidade por quem de direito.

   O Brasil vive um momento político e econômico grave onde seu desdobramento trará consequências negativas de altas proporções tanto para a democracia, quanto para os direitos dos trabalhador@s, principalmente dos que compõem a chamada coluna estratégica do desenvolvimento nacional: Economia, Educação, Saúde, Programas Sociais e Segurança Pública. O PLC 257/16 que tramita no Congresso Nacional é um claro exemplo do que vem por ai, tramado pelos donos do poder e manipuladores do povo que hora traem a pátria e articulam-se sob um golpe contra a presidenta da República.

   Em Caicó, um município que passa por uma crise administrativa aguda patrocinada pelo prefeito Roberto Germano (PMDB) que há tempos perdeu o rumo do bem governar, tem sido a educação uma das áreas mais atingidas, pois além da paralisia na sua infraestrutura escolar, os organismos de controle social como os conselhos do FUNDEB e Educação não têm cumprido o seu papel fomentador de colaborar e propor políticas educacionais que contribuam para o avanço da gestão educacional, mas isso se dá, não porque os seus membros não se proponham a isso, mas porque tem sido a própria gestão municipal quem tem criado entraves para estes conselhos não funcionarem a contento das suas obrigações e possibilidades.

   O Plano de Cargos, Carreira e Salários do Magistério municipal foi uma conquista da própria categoria, resultado de uma luta intensa. De quando entrou em vigor em 2007 até início de 2013, foram importantes os avanços desta Lei que possibilitou uma melhoria nos salários e na carreira dos professor@s, somados as conquistas do piso salarial nacional e os recentes Planos nacional e municipal da educação, porém, tem sido exatamente este plano de carreira que a secretaria municipal da educação tem se negado a cumprir sem conceder os benefícios básicos garantidos por esta lei aos professor@s que estejam no legítimo vigor dos seus direitos. Assim, nada justifica ser injustiçado por uma lei que foi criada para fazer justiça.

    O gestor municipal não precisaria está o tempo todo sendo cobrado pelos servidores para cumprir os planos de carreiras e demais leis em benefício dos seus funcionários. Cumprir as leis com lisura e responsabilidade deve ser uma obrigação administrativa para contribuir com as melhorias salariais e profissionais do funcionalismo público, mas infelizmente não é isso que vem acontecendo em Caicó, mais uma vez, essas leis vêm sendo descumpridas e são os professores os mais prejudicados pelo descompromisso daqueles que se elegeram montados no discurso de que tudo fariam para melhorar a educação.

   Por isso estamos mais uma vez em GREVE até que  o prefeito RG apresente soluções compatíveis para o atendimento das nossas reivindicações. Professores, alunos e o próprio sistema educacional já estão prejudicados, não por causa desta ou de qualquer outra greve que tenha sido feita, mas pelo permanente descaso dos governantes (estados e municípios) que reflete nada mais do que o desprezo destes para com uma educação pública, de qualidade e voltada para o desenvolvimento humano de tod@s.

Nenhum comentário:

Postar um comentário