quarta-feira, 9 de março de 2016

POR QUE DESAPEGAR É IMPORTANTE?

O que fazer para não sofrer com a dependência de objetos e lembranças

Querer mais e o melhor é uma característica humana. Essa ambição é natural para a evolução de nossas vidas, mas, com ela, seguidas vezes, ocorre um efeito colateral: muitos tendem a se tornar apegados aos bens que possuem, como o carro, a casa, o celular, os móveis, as joias, as roupas, os sapatos ou até lembranças, que podem se tornar destrutivas.

Para lidar com essa situação, muitas pessoas fazem, pontualmente, no final ou no início do ano, as famosas faxinas para descartar o que não lhes serve mais e praticar o desapego. Outras tomam essa atitude sem eleger datas específicas para essa tarefa.

Para a psicóloga Karin Cristina da Silva, de 47 anos, que atua na área clínica, doar, vender ou descartar algo que não tem mais funcionalidade é uma renovação para a vida. “É uma forma de se abrir para o novo, de não se apegar a bens materiais. Nós vivemos em tempos de não desperdiçar. Fazer com que os objetos que não utilizamos mais circulem é também uma forma de ser mais sustentável”, avalia.

De acordo com a especialista, o apego é uma característica que algumas pessoas possuem e que pode ser prejudicial à saúde. “O apego exagerado aos objetos pode trazer consequências psicológicas negativas, gerando futuramente compulsões desnecessárias. É algo muito perigoso, já que nos coloca diante da inércia, pelo medo de agir e de abrir mão de algo que pode levar à obsessão e funcionar como um estímulo para o sofrimento”, alerta.

Na avaliação da psicóloga, vivemos em um mundo no qual há um grande apelo para o consumo. Desapegar, portanto, é uma forma de reorganizar o nosso espaço e a nossa mente. “Se agarrar a algum objeto de maneira desmedida ou a uma história do passado traz mais malefícios do que benefícios. Aquilo que me fez bem ontem não necessariamente continuará a me beneficiar no presente. Devemos eleger as prioridades pelo alcance de nossa saúde mental”, recomenda.

Para a psicóloga Karin, “As pessoas apegadas podem apresentar diversos problemas, como ansiedade, fobia, depressão, ou vivenciar o eterno medo de perder e não saber lidar bem com a perda. O apego nos torna muito dependentes das coisas, mas, quando aceitamos que nada é eterno e permanente, aprendemos a usufruir mais e melhor da vida”, conclui.

VEJA ABAIXO 5 DICAS PARA DESAPEGAR-SE

Por Eduardo Prestes / edição 1247 folha universal

Nenhum comentário:

Postar um comentário