quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

SOLUÇÃO PARA CARNAVAL DE CAICÓ É RESGATAR NOSSAS VERDADEIRAS TRADIÇÕES

Apesar de todas as dificuldades, o povo de Caicó, do Seridó e de outras regiões do país consolidaram mais uma vez um grande carnaval de rua em Caicó, festa foi positiva

Mas um fato, entre análises, angústias, opiniões conta e a favor da forma como o carnaval vem sendo realizado nos últimos anos não pode passar em preto e branco: carnaval é festa popular, alegoria, fantasia, tradição, frevo, axé, samba, alegria e, por isso, não pode ser privatizado, não é coisa de interesse meramente mercadológico para favorecer determinados setores comerciais ou empresariais. As ruas pertencem aos foliões, aos blocos e a população que vem participar da festa.

Infelizmente, apesar de Caicó realizar carnaval há mais de 50 anos, o amadorismo, o improviso e a falta de planejamento e organização ainda são os fatores mais presentes durante os discursos, críticas e declarações feitas no período de carnaval, e todo ano é a mesma coisa, o mesmo blá, blá, blá, seja antes, durante ou depois da folia, mas o que está claro é: poderes públicos, blocos, foliões, comércio, empresários e população são responsáveis pela festa, se a mesma não sai do jeito que desejamos, ai já são outros carnavais. Só povo nas ruas, por si só, não justifica a grandeza de um carnaval, quando seus principais elementos são deixados de lado por falta de estrutura, apoio, investimentos financeiros e organização profissionalizada.

Valeu o esforço do Bloco Alaursa do Poço de Sant’Ana (Magão), o Treme-Treme e o apoio da população que lotou as ruas durante todos os dias. Mas precisamos, também, insistentemente, resgatar outras tradições que estão sendo esquecidas. Usar os espaços que foram construídos para a realização destes eventos (Ilha de Sant’Ana), incentivar crianças e a juventude a manterem-se firmes nas verdadeiras tradições do carnaval, trazer de volta os blocos de rua, as músicas carnavalescas, nossa cultura e criatividade sempre teve elementos para isso, mas pouco-a-pouco estão sendo deixados de lado em função dos modismos e das imposições midiáticas (carnaval não é forró) por exemplo.

O meio termo de tudo é que sempre tem a quarta-feira ingrata, que chega tão depressa só pra contrariar...

Unamo-nos, e em 2017 façamos melhor, isso é possível!

Nenhum comentário:

Postar um comentário