sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

SALARIO DE PROFESSOR, SALÁRIO DE VEREADOR

A lógica sensata desse debate é igualar os salários dos professores aos dos vereadores, deputados ou senadores, e não o contrário

Por professor Antônio Neves

Circula nas redes sociais uma campanha de compartilhamento (VEJA FOTO AO LADO) que reivindica que o salário de vereador seja igual ao de um professor, considerando que um professor ainda recebe baixíssimos salários enquanto um vereador ganha proventos significativos. A intenção desta campanha pode até ser boa, mas a compreensão é confusa e reflete sintomas de uma mentalidade social desorganizada politicamente.

O descredito da classe política hoje é tão grande que a forma como a sociedade busca punir a inércia de muitos é querendo reduzir seus salários, o que não é pouca coisa, considerando a média salarial de um trabalhador no Brasil que gira em torno de um salário mínimo para trabalhar 44 horas semanais enquanto um senador, deputado ou vereador ganha 200 vezes mais para comparecer nos parlamentos alguns dias no mês e, na maioria das vezes para trabalhar contra o povo e a nação.

Mas esta campanha de compartilhamento que chegou até a Câmara Municipal de Caicó como pedido para que a Mesa Diretora dê encaminhamento a projeto de lei reduzindo seus salários para o valor dos proventos iniciais de um professor da rede municipal de ensino está politicamente equivocada. Se a população quer punir a classe política pela inércia e descompromisso adotados por muitos, existem meios bastante eficientes para isso, como por exemplo, mudar a forma de votar nas próximas eleições e eleger candidatos que tenham compromisso público e responsabilidade social para atender aos interesses dos cidadãos, e a melhor forma de fazê-lo é trocando os maus políticos por aqueles que têm história de luta em defesa da educação, da escola pública e da sociedade, depois cobrar que os eleitos paguem com trabalho e resultados os bons salários que recebem. A partir disso você verá o quanto este país mudaria de verdade! Porém, o debate sobre a questão salarial dos professores tem outra dimensão.

Nós professores de todo o Brasil, que por décadas lutamos por valorização salarial e profissional e pela boa qualidade do ensino e da escola públicas não concordamos com esta campanha, ela reflete o alto grau de desconhecimento da sociedade com a pauta de lutas da educação e seus profissionais. O que reivindicamos é o cumprimento das muitas leis que já existem e que obrigam prefeitos e governadores a melhorarem os salários do magistério, como por exemplo, a lei federal 11.738/08 do Piso Salarial Nacional que não vem sendo cumprida pela maioria dos gestores públicos e as metas dos planos: nacional e municipais de educação. São leis que foram elaboradas exatamente para valorizar as condições salariais e profissionais dos professores, mas que a maioria da população não conhece.

É sempre bom lembrar que, para a sociedade, segundo pesquisas, a educação vem apenas em 6º lugar na linha de prioridades das famílias, perdendo para outras necessidades supérfluas como ter um celular de última geração, ou seja, a maioria das pessoas não vê o acesso à educação como meio de progredir na vida, talvez por isso, se interessem tão pouco em entender como funcionam os mecanismos de promoção e investimentos na educação e na escola públicas, como também de quem são as responsabilidades para promovê-la. 

A proposta desta campanha de igualar salário de vereador ao de professor é a mesma coisa de querer manter os professores ganhando a miséria salarial de sempre, e não é isto que reivindicamos na nossa trajetória de lutas, buscamos melhorias salariais, por isso, a lógica sensata desse debate é igualar os salários dos professores aos dos vereadores, deputados ou senadores, ai sim, avançaremos na valorização do magistério.

Este ano tem eleição. Já é um bom começo para mudarmos esta história!

Um comentário:

  1. como sempre, lúcido e sabedor do que defende. parabéns professor pela firmesa das suas posições

    professora municipal

    ResponderExcluir