quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

CADÊ A PUJANÇA ECONÔMICA DOS EUA?

Nos últimos tempos, os urubólogos da mídia fizeram um esforço lascado para difundir a ideia de que a crise econômica só existia no Brasil - por única e exclusiva culpa do governo lulopetista de Dilma Rousseff. O restante do mundo estaria em plena recuperação, em especial os EUA - que as mentes colonizadas, com complexo de vira-lata, idolatram no altar do "deus-mercado".

Na semana passada, porém, o governo ianque divulgou os dados sobre o crescimento econômico no "paraíso capitalista". Eles confirmam o que todo mundo já sabia - menos os midiotas manipulados pela imprensa rentista. No quarto trimestre do ano passado, o "pujante" PIB dos EUA cresceu magníficos 0,7%. Um pibão!

A notícia frustrante para os detratores do Brasil não ganhou as manchetes dos jornalões e nem virou destaque na tevê. Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg, entre outros urubólogos, não fizeram autocrítica das suas análises equivocadas e tendenciosas sobre a inexorável retomada ianque.

Para os analistas econômicos mais sérios, menos partidarizados, a perda de fôlego da economia dos EUA já era previsível em decorrência da desaceleração dos mercados externos, dos baixos investimentos do Estado e do setor privado, da retração das exportações e da queda dos preços das commodities.

Em artigo publicado na revista CartaCapital, intitulado "A crise dentro da crise", o jornalista Carlos Drummond apresentou vários dados que revelam a paralisia no coração do capitalismo. "A situação dos EUA estaria muito pior do que o Federal Reserve pensa... A austeridade fiscal, a valorização do dólar e a má distribuição de renda vão descarrilar a economia dos EUA, alerta o Instituto Levy de Economia. Algumas das fragilidades do sistema financeiro evidenciadas em 2008 parecem persistir".

Como afirma o economista Luiz Gonzaga Belluzzo, este quadro "questiona a avaliação predominante no Brasil de que a crise era chinesa e a economia dos Estados Unidos estava se recuperando".

Por Altamiro Borges: jornalista, presidente do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, membro do Comitê Central do Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

Nenhum comentário:

Postar um comentário