terça-feira, 26 de janeiro de 2016

COMO ESTIMULAR O CÉREBRO PARA NÃO PERDER A MEMÓRIA

Além de manter hábitos saudáveis, há formas de evitar as falhas corriqueiras. A estratégia é criar situações que estimulem a memória.

A neurologista indica a realização de atividades intelectuais. “O cérebro tem plasticidade e essas atividades fazem com que as conexões entre os neurônios se desenvolvam”, esclarece.

Atividades de lógica e conhecimento, como palavras cruzadas, sudoku, jogos de tabuleiro e eletrônicos, são bem-vindos. Também desenvolva novos aprendizados, como programas de computador, idiomas, instrumentos, pintura, esportes ou atividades artesanais.

Você pode ainda desafiar a memória com pequenas mudanças de rotina. Que tal escolher um caminho diferente para ir a algum lugar? Por que não trocar seus objetos de uso diário de lugar? Experimente decorar o número de um telefone, em vez de anotá-lo na agenda do celular. Quanto mais você deixar de realizar algo de maneira automática, mais seu cérebro será desafiado.

Para evitar que sua memória falhe depois de um aprendizado ou uma leitura, faça uma revisão rápida. “Uma simples leitura não é provocante para a memória. Então, depois de ler é preciso fazer um breve resumo”, destaca o neurocientista.

Outra dica dele é inventar regras mnemônicas, ou seja, fazer associações de informações difíceis de serem memorizadas com outras fáceis, que sejam familiares. “Sempre que quiser se lembrar de um compromisso ou algo importante, associe imagens em torno desse conteúdo ou crie frases ou palavras-chave”, recomenda.

Janaina Medeiros / edição 1241 folha universal

Nenhum comentário:

Postar um comentário