segunda-feira, 30 de novembro de 2015

CAICÓ: SITUAÇÃO DO MATADOURO PÚBLICO DE CAICÓ SE AGRAVA

Condições de funcionamento é de estado de calamidade pública e atenta contra a saúde da população que consume os produtos produzidos neste local.


Após ter recebido uma denúncia anônima de que, por causa da falta d’água o Matadouro Público de Caicó estaria funcionando em situação calamitosa, uma comissão do Sindicato dos Servidores Municipais de Caicó, formada pelo presidente Thiago Costa e o secretário Henning Saraiva visitou o local.

Abaixo, o relatório da situação relatada:

Chegando ao matadouro a informação repassada ao Sindserv foi de que aquele espaço teria deixado de receber agua da CAERN e que, de acordo com as normas técnicas, não poderia ser abastecido por carros pipas, uma vez que esses não teriam como atesta o devido tratamento e qualidade da agua ofertada.

Adentrando no matadouro, os membros da direção perceberam e registraram, com fotos, evidências de que o espaço havia acumulado sujeira há um tempo considerável. Além disso, registrou-se a presença de cães, gatos e urubus no recinto. Outro fato que se pode perceber é a atual situação dos currais, bastante danificados, oferecendo riscos à integridade e a vida dos usuários e servidores públicos lotados no matadouro.

Diante de tudo o que foi presenciado, percebe-se que, por mais que recentemente se tenha alcançado um avanço em relação à instauração do regimento interno do matadouro, ainda há muito caminho a percorrer para que as normas contidas naquele documento se efetivem na prática, principalmente no que compete a secretaria de agricultura e ao chefe do executivo municipal em relação a administração daquele equipamento público.

Ainda em relação ao regimento, nem mesmo foi baixada portaria nomeando a comissão administrativa do matadouro, previsto no referido documento, com representações do governo, servidores e usuários daquele recinto.

Infelizmente, ante as evidências presenciadas e registradas, pode-se dizer que a situação do matadouro, que já é habitualmente calamitosa, agrava-se ainda mais com a falta d’agua e o seu funcionamento em tais condições, produto da negligência daqueles que, em nossa opinião, deveriam ser indiciados criminalmente por atentar contra a saúde e a vida de usuário, servidores públicos e consumidores da carne dos animais abatidos naquele espaço.

É possível afirmar, ainda, ante os registros obtidos in lócus, que a carne dos animais abatidos no matadouro nessa sexta-feira, bem como os seus derivados, tiveram o tempero nada agradável do sangue, dejetos e da sujeira acumulados no chão e nas paredes do Matadouro Público de Caicó. Uma situação tristemente lamentável!

Nenhum comentário:

Postar um comentário