quinta-feira, 15 de outubro de 2015

VOTO DE ALEX DANTAS: OPOSICIONISTA OU OPORTUNISTA?


Com uma aparência de quem votou enquadrado por circunstâncias constrangedoras, o vereador dito de “oposição” Alex Dantas (PSB) foi superado pelas próprias contradições

Voto do vereador Alex sobre Parecer do TCE na Câmara justifica atitude política, mas coloca em cheque seu papel de parlamentar de oposição 

O vereador Alex Dantas (PSB) fidedigno vilmista e obediente escudeiro do ex-prefeito Bibi Costa; sempre se esforçou para manter uma imagem na Câmara de Vereadores que lhe desse um lugar de destaque entre os iguais. Com um mandado de pouca amplitude quanto ao seu papel de “oposição” e confuso na condução de sua linha parlamentar, Alex já foi capaz de votar leis usando o nome de Deus em vão, como no caso da votação do Plano Municipal de Educação em que, segundo ele mesmo declarou, votou por pedido da sua igreja; a parte técnica e os fundamentos educacionais e sócio-pedagógicos da lei do PME foram desconsiderados pelo mesmo sem maiores fundamentações.

Advogado por formação e vereador por circunstâncias eleitorais, Alex Dantas foi ao fundo da sua contradição retórica quando tentou justificar seu voto em relação ao Parecer do TCE/RN que rejeitou as contas do prefeito Roberto Germano mais que a maioria dos seus pares manteve na Câmara na sessão da noite de ontem (14).

Alex até que se esforçou, mas não convenceu. Sua tese para votar contra o Parecer do TCE e salvar Roberto Germano da inelegibilidade passou longe de qualquer argumentação lógica e convincente. Parecia mais um vereador aliado do prefeito tentando salvar-lhe a cabeça política a qualquer custo. No final das contas, ficou explícito que, para o ilustre vereador faltou um ingrediente fundamental para quem quer parecer, mais que os outros, uma excelência em determinados assuntos... Faltou estudar mais e ter humildade de aceitar os argumentos de quem realmente estudou o caso.

Se ao votar contra o Parecer do TCE, Alex Dantas não teve a firmeza de quem se diz fazer oposição com responsabilidade, algo de oportunista lhe sobrou no frágil argumento. Ele só não contava que o xeque-mate ficaria por conta do vereador Leleu, que num só golpe (ou voto) levou alguns para o terreno baldio das incertezas politico-eleitorais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário