sexta-feira, 9 de outubro de 2015

PSDB TAMBÉM RECEBEU DINHEIRO DE PROPINAS

Como diz o velho ditado: contra fatos não há argumentos.

O PSDB, nas eleições de 2014, recebeu R$ 53,73 milhões de empreiteiras citadas na Operação Lava Jato, como Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, Camargo Correa, OAS, Galvão Engenharia, UTC, Odebrecht e Setel. No caso do PT, as doações totalizaram R$ 56,8 milhões. Onde cabe o abuso de poder diante de tal equivalência?

Além disso, partindo da tese tucana que fundamentou a reabertura da ação, as doações de campanha por empreiteiras investigadas feitas ao PSDB também deveriam estar sob suspeita.

Vale lembrar que as delações do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa dão conta de que houve pagamento de propina a parlamentares para obstruir as investigações da Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobras nos anos de 2009 e 2010.

Além disso, outro delator, Fernando Baiano, preso na Operação Lava Jato, teria intermediado o pagamento de propinas para obstruir o regular funcionamento de Comissão Parlamentar.

Vazou, inclusive, um vídeo do depoimento de Paulo Roberto Costa dando detalhes de como ocorreu a negociação com o falecido senador e presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, para o pagamento dos R$ 10 milhões exigidos para “abafar” a CPI. Segundo as “investigações” do juiz Sergio Moro, esse montante foi pago pela empreiteira Queiroz Galvão.

Apesar de fazer conexões subjetivas, ou seja, sem nexo com a realidade, para criminalizar o PT e tentar dar um golpe contra o mandato da presidenta Dilma, não vemos a mesma conexão diante de fatos reais. Isso porque no dia 11 de novembro de 2009, os três senadores de oposição, Sérgio Guerra (PSDB-PE), Álvaro Dias (PSDB-PR) e ACM Júnior (DEM-BA) deixaram a CPI acusando a Petrobras de comandar uma “operação abafa”.

Do Portal Vermelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário