quinta-feira, 20 de agosto de 2015

RETIRADA DE DIREITOS

Os trabalhadores brasileiros, que são a maioria da população, sempre em tempos de crises do capitalismo são os que pagam a conta dos ajustes na economia, enquanto banqueiros, empresários, industriais, latifundiários e representantes das grandes corporações econômicas e financeiras do país e do mundo lucram com a crise, com a alta dos juros e a inflação. Desemprego, retirada de direitos e arrocho salarial atinge diretamente o coração das políticas desenvolvimentistas que beneficiou os trabalhadores nesses últimos anos.

Nas manifestações das elites, onde também boa parte de trabalhador@s autônomos e da alta classe média fazem coro ao discurso de combate a corrupção, não se ouve nenhum grito de protesto contra o controle das grandes empresas e do capital sobre a economia, o que impõem pacotes de medidas econômicas que retiram direitos e agravam a crise. A classe média alta que sonega impostos e acumulam riquezas, muitas vezes de forma ilícita, nem de longe quer ouvir falar em taxação das suas fortunas, ou cobrança progressiva dos impostos, onde quem tem mais, deve pagar mais, porém, vai as ruas protestar em nome do combate a corrupção: muita contradição não é?

Nenhum comentário:

Postar um comentário