sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

ASSÚ-RN: A REBELIÃO DAS ÁGUAS E A RESSUSCITAÇÃO DOS MORTOS


A cidade de São Rafael antiga, como muitos falam, que há anos está submersa pelas águas da barragem Armando Ribeiro Gonçalves (popularmente conhecida como barragem de Assú, no Rio Grande do Norte), está voltando a tona com a seca que atinge este reservatório e restos mortais no antigo cemitério estão emergindo das águas que cobrem à antiga cidade

Á época da construção da barragem, DNOCS garantiu retirada de todas as ossadas do cemitério

Na época em que a barragem estava sendo construída, as famílias que ali residiam foram remanejadas para a atual São Rafael e receberam novas residências de acordo com as que possuíam na antiga cidade. Do cemitério, os restos mortais , segundo o DNOCS (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas) todos haviam sido retirados e depositados em pequenas tumbas no cemitério atual.

Com a seca que assola a região ruínas da cidade e o cemitério emergiram e para a surpresa de todos, juntamente com as paredes e catacumbas que estão à vista, restos mortais começaram a ser encontrados.

São Rafael uma história de sonhos que ficou submersa com as promessas de uma vida melhor, agora vive esse desrespeito com os restos mortais de seus antigos moradores que foram obrigados a serem submergidos com as águas que sucumbiram à cidade antiga. Uma história, um sonho inundado e uma falha de informação pregada pelo DNOCS na época, pode desencadear uma pilha de ações de DNA.

De um modo geral chega a ser inacreditável tal acontecimento; para uns desrespeitos, para outros a “confirmação” que faltava para dá vida à imaginação das pessoas que afirmam ter presenciado algum fato sobrenatural no local onde existia a cidade.

Um caso de Justiça, de polícia ou mais um caso que cairá no esquecimento e se configurará em mais um conto da cidade?

Por Nelder Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário