sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

IVONETE DANTAS PODERÁ SER O NOME PARA ACORDÃO ENTRE PMDB E GRUPO VIVALDISTA EM 2016


Com a avaliação do governo do prefeito de Caicó Roberto Germano (PMDB) em baixa cotação entre a população, nomes começam a ser especulados como pretensos candidatos a cadeira do poder executivo municipal nas eleições de 2016, um deles é o da ex-suplente de senadora Ivonete Dantas (PMDB) que, depois de alguns meses no Senado retorna a cidade do Caicó e entra nos bastidores da política municipal disposta a colaborar para tirar a cadeira do atual prefeito.

Roberto é o candidato natural à reeleição de prefeito na legenda dos bacuraus, mas enfrenta uma grave crise interna, motivada pelas disputas de poder na sua administração onde os caciques do PMDB local tentam a todo custo garroteá-lo para fazer da sua gestão um feudo onde quem menos manda é o prefeito. Diante das discórdias que todos esses conflitos vêm causando, com forte resistência por parte do mesmo em ceder às pressões por espaço e manipulações administrativas de toda ordem, nomes influentes e de grande poder de decisão na legenda já começam a tecer outras possibilidades para a sucessão municipal, onde, Germano poderá ficar de fora.

Diante as insatisfações nada escondidas, e outras manobras bem comuns na política caicoense, outros personagens entram na disputa com a fome de desbancar o prefeito Roberto e garantir seu quinhão no bojo do poder e, para isso, é preciso dar fôlego a um nome de peso, que se viabilize politica e eleitoralmente para enfraquecer e desbancar a candidatura a reeleição de Roberto e, no momento, o nome que surge como possibilidade de unir as forças conservadoras para este intento é o de Ivonete Dantas que, sem maiores constrangimentos parece que gostou da ideia.

O trunfo que se esconde por trás do nome de Ivonete é a possibilidade nada descartável de unir as forças “rivais” da política local que, por décadas fingem ser adversárias: os bacuraus do PMDB e os vivaldistas do grupo do ex-deputado Vivaldo Costa que podem vir a consolidar um grande acordão visando manter o bolo do poder dividido como sempre fizeram, pois, no perfil das conveniências que envolvem os nomes que estão à disposição não há divergências na forma do uso e manuseio do poder entre eles por se tratar de pessoas que nasceram do mesmo berço. Ivonete Dantas, a exemplo de Roberto Germano são crias da nascente vivaldista, tanto quanto o deputado estadual Álvaro Dias (principal interessado no acordão) e outras figuras de menor densidade, porém, estas figuras sempre se revezaram no poder apoiados numa rivalidade de mentirinha, encenação de conveniências para se manterem no comando da “coisa” pública onde o povo tem sido vítima das artimanhas desses sistemas de manipulação pela forma nada exemplar de como controlam a política caicoense.

Ivonete Dantas, sorrateiramente observa o cenário esperando o chamado de seus padrinhos políticos, tanto de um lado como do outro; Álvaro Dias e Vivaldo Costa cientes do que lhes esperam em 2016, sabem que seu poder de mando está por um fio, por isso, a tentativa de um acordão pode ser uma possibilidade, mesmo arriscada de se salvarem, porém a intensão maior é aniquilar de vez o prefeito Roberto Germano, derrotando-o por antecipação, e este tem como única salvação a pouca possibilidade de até 2016 reerguer sua administração costurando os conflitos que lá existem, onde a intervenção nada saudável dos seus aliados busca a todo instante desgastá-lo, sem que o mesmo tenha as garantias de que terá legenda para a disputa da reeleição em 2016.

Diante as cenas e fatos dos capítulos a seguir, não será mera coincidência o que venha a acontecer, mas apenas uma repetição no vale a pena ver de novo.

Um comentário:

  1. Acho que o Partido dos Trabalhadores, tem um nome muito forte para concorrer com amplas chances de vitória a Prefeitura de Caicó, é do companheiro João Braz. Vamos a luta!!!

    ResponderExcluir