segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

MODERNIDADE E TECNOLOGIA

Você deixa a tecnologia durante uma conversa? Você tem usado a tecnologia com sabedoria?

Você já checou seu WhatsApp hoje? Deu uma olhadinha nas atualizações do Facebook? A frequência com que você acessa as redes sociais ou fica online diz muito sobre você e como está o relacionamento com a sua família. É claro que a tecnologia é um avanço muito útil para a modernidade, mas pode ser devastador, caso você se torne um escravo dela. Hoje, é comum ver em restaurantes, por exemplo, casais presos em mundos individuais. Eles estão na mesma mesa, mas, conectados em seus smartphones, conversam com outras pessoas, acessam sites e fazem de tudo na rede menos conversar com o parceiro que está à sua frente.

A psicóloga Alessandra Amorim contou que esse tem sido um assunto recorrente em atendimentos para casais e famílias. Ela percebeu que, assim como para um adolescente criar um personagem na rede pode ajudar a expressar alguns pontos de sua personalidade, o mesmo também acontece com alguns homens e mulheres. “Tudo isso sugere uma fuga de sua própria realidade, à qual mais cedo ou mais tarde todos terão que voltar e encarar”, completa.

Mal do século?

Aqui no Brasil, já são 22 milhões dos nomeados “nativos digitais” – pessoas que nasceram e foram criadas na era da internet e dos jogos. De acordo com a instituição Ibope Media, 95% dos jovens entre 15 e 33 anos se consideram viciados nas novas tecnologias.

E quando o foco é o relacionamento, os casais têm sido muito prejudicados quando não sabem fazer o uso inteligente da rede. Uma pesquisa conduzida por psicólogos e divulgada na revista Psychology of Popular Media Culture revelou que 75% das 143 mulheres entrevistadas consideraram que o uso excessivo dos celulares e da internet está afetando suas vidas amorosas e reduzindo o tempo que passam com o parceiro.

Outro estudo também assusta. Dados da Italian Association of Matrimonial Lawyers revelaram, após uma análise recente dos casos de divórcio no país, que o aplicativo de conversa WhatsApp está sendo apontado como pivô de 40% dos divórcios no país.

A psicóloga Alessandra diz que tanto para os casais quanto para os filhos não é a tecnologia que atrapalha uma relação. “É a decisão de cada pessoa em como utilizar esta tecnologia que irá definir se o relacionamento será afetado por ela. É fato que cada vez mais as redes sociais conquistam o tempo das pessoas com entretenimento, entre outros, e faz com que qualquer relacionamento seja afetado, já que muito tempo é dedicado ao mundo virtual.”

Por Ana Carolina Cury
Na Folha Universal especial edição 1185

Nenhum comentário:

Postar um comentário