terça-feira, 30 de dezembro de 2014

INSATISFEITO, VICE-PREFEITO ORIEL AMEAÇA RENUNCIAR CASO GESTÃO NÃO MELHORE

Vice-prefeito Oriel Segundo de Oliveira tem demonstrado grande insatisfação com os rumos da política local, inclusive com a administração do prefeito Roberto Germano

O Vice-prefeito de Caicó, Oriel (PR) tem se destacado no governo atual por ter sido até aqui o vice que mais assumiu a cadeira de prefeito na ausência do titular, situação esta que lhe dá certa autoridade para tecer comentários sobre os rumos que a atual administração da qual faz parte está tomando.

Pelas vezes que assumiu a cadeira de prefeito (14 vezes), Oriel se deparou com momentos conflitantes, principalmente com os servidores municipais e Ministério Público, porém, revelou-se alguém com forte poder de diálogo e decisão na hora de ter que dá condução às soluções que o momento exigia. Com isso, tem se saído bem com significativa aprovação da sua atuação.

Crítico direto de como a gestão dá encaminhamentos a algumas situações que, segundo ele, poderia ser resolvida com diálogo, planejamento e prioridade, Oriel tem dito, com outras palavras, que a administração comete erros primários e que o prefeito Roberto Germano, em alguns momentos, é ambíguo na hora de decidir (caso da disputada situação da doação do terreno do município (EEJA) para a UERN, e que era também uma reivindicação da secretária da educação Socorro Mariz, cargo de sua indicação). Tal confronto terminou com um constrangimento público para secretária e trabalhadores em educação municipal exatamente porque o prefeito não teve capacidade de conduzir a situação da forma coerente como o problema exigia, fragilizando administrativamente a secretária Socorro Mariz que já tem sofrido vários desgastes políticos pela forma pouco segura de como Roberto Germano vem tomando certas decisões na área da educação.

Para Oriel, mesmo não tornando explícitas suas insatisfações, dizendo apenas que se as coisas não melhorarem o mesmo pode vir a renunciar ao cargo de vice-prefeito por está decepcionado com a política, o que fica óbvio é a forma como ele vem analisando a administração do prefeito Roberto, considerada totalmente tutelada pelos interesses da alta cúpula do PMDB local que, mais uma vez tem garroteado o prefeito Germano para garantir poder de mando e interferência direta na administração municipal, passando muitas vezes por cima de decisões do chefe do executivo.

Pelo que está desenhado, este filme está sendo apenas reprisado e seus desdobramentos não passarão de 2015, pois em 2016 já é eleição novamente. Será que Roberto aguenta até lá?

Nenhum comentário:

Postar um comentário