segunda-feira, 27 de outubro de 2014

DE FORMA IMORAL, EMISSORAS DE RÁDIOS DÃO SHOW DE ANTIÉTICA NA COBERTURA DAS ELEIÇÕES EM CAICÓ


Que os meios de comunicação (rádios, televisão) são concessões públicas todo mundo sabe, e que estes canais deveriam está a serviço de uma comunicação democrática, imparcial, informativa e comunicativa, é o que gostaríamos que fosse, mas não é isso que se ver pelo país adentro, e não estou falando da canalhice da revista Veja e seus correspondentes; tão pouco da degradante e imoral manipulação que a Globo, mais uma vez fez nas eleições presidencial deste ano, estou falando de coisa bem perto de nós, dos meios de comunicação da nossa região, da nossa cidade que, como sempre e pra manter a tradição, também endossaram escrachadamente uma cobertura eleitoral que envergonha qualquer ouvinte, ensejando opção por candidatos e utilizando seus horários nobres para promover candidaturas que estavam associadas aos interesses dos grupos políticos a que pertencem estes canais ou a algum radialista que pertence a certos grupos político-partidários.

Quanto aos blogs da cidade e região, não perderei meu tempo escrevendo sobre o comportamento de seus administradores, não vale a pena, não preciso gastar muitas linhas para traduzir sobre que tipo de interesses alguns blogueiros  assumem determinadas posturas eleitoreiras, para estes espaços vale o quanto se paga, então vamos ao que mais nos interessa.

O perfil das emissoras de rádios em Caicó é bastante definido; duas pertencem a grupos políticos de direita que há anos se revezam no poder e parte da sua programação é de promoção política direta de seus chefes e alguns radialistas que nelas trabalham. Outra emissora, de maior tradição e tempo no ar, diz se pautar pela “notícia que é do tamanho da verdade”, mas no engajamento dos momentos eleitorais esta verdade ganha partido e opção eleitoral direta, o que fere princípios há tempos defendidos pela história dessa emissora.

Não foi novidade ouvir a programação dessas emissoras, sem distinção, pautadas na defesa velada de determinadas candidaturas e na desqualificação de outras para favorecer os candidatos preferenciais de alguns radialistas, isso foi fato repugnante, ouvido por toda a cidade e região que reprova tais atitudes, mas como se não bastasse tem a conivência disfarçada de seus diretores.

A região do Seridó tem por tradição a cultura do rádio, e suas mais antigas emissoras tem dado significativa contribuição à educação e a cultura, mas também, ao longo dos anos tem se permitido cair numa dominação e controle de segmentos políticos reacionários de opiniões contraditórias que ferem os princípios da comunicação ética e imparcial e confundem a opinião pública em detrimento de interesses que não é o da liberdade de imprensa, tão pouco o da verdade, mas de empenho pessoal pela manutenção  da liberdade de empresas e de grupos políticos partidários que nas últimas décadas tem manipulado a comunicação do rádio e tolhido o caminho da cidadania.

Nenhum comentário:

Postar um comentário