domingo, 19 de outubro de 2014

A IMPORTÂNCIA DE DEFENDER UMA OPINIÃO SEM OFENDER OS OUTROS

Entenda o motivo pelo qual uma ideia com argumentos reais e concretos é mais eficiente do que espalhar as suas convicções

Por Sara Oliveira
Na Folha Universal edição 1176

Em tempo de eleições para a definição de novos gestores, opiniões distintas são espalhadas por todos os lados. Os cidadãos se mobilizam, fazem as suas escolhas e defendem os seus posicionamentos. Na efervescência das redes sociais, a exposição de ideias torna-se ainda mais intensa. Não é difícil notar que muitas pessoas legitimam as próprias convicções como verdades absolutas. E o pior: tentam convencer você, a qualquer custo, de que a razão é toda delas.

Diante dessa enxurrada de informações, a defesa de pontos de vista se transforma em agressão verbal. O que poderia ser uma troca de conhecimentos se transforma em disputa ferrenha entre lados opostos. Será que é necessário um discurso inflamado e cheio de emoção para defender aquilo que você acredita? A resposta, certamente, é não.

Não permita que os posicionamentos distintos impeçam que o diálogo e o bom senso prevaleçam. Se você acredita que a sua opinião é melhor do que a do seu amigo, tente convencê-lo disso com justificativas reais e concretas. Defender uma ideia, um candidato, uma proposta ou uma causa qualquer exige conhecimento e definir os argumentos de forma lógica e coerente. As divergências devem existir e são saudáveis quando são capazes de gerar debates construtivos e contribuem para somar conhecimento e solidificar opiniões. Caso contrário, viram disputas infundadas, superficiais e até mesmo violentas. E você não ganha nada com isso (a não ser uma grande carga de estresse, talvez).

Não se deixe levar pelo posicionamento de amigos, familiares ou pessoas conhecidas. Concorde apenas se eles conseguirem convencer você – com argumentos sólidos, não superficiais – de que a opinião deles é realmente a melhor. Ou então faça a sua parte: leia e informe-se, busque dados, evidências, informações que possam contextualizar e reforçar ainda mais a sua decisão. O lado racional não deve ser deixado de lado em nome da emoção.

Qual o caminho para defender um ponto de vista de forma assertiva? Para entender a força que um diálogo é capaz de ter, é preciso saber argumentar e, principalmente, saber ouvir. Manter o equilíbrio sem agredir ou ofender o outro. Pare um pouco e pense: o que faz mais efeito? Impor ideias ou apresentar argumentação consistente? Defenda a sua opinião sem ofender ninguém, sem diminuir os ideais diferentes dos seus e sem agressividade. A assertividade ocorre quando você consegue defender a sua ideia de forma clara e efetiva, sem prejudicar ou desvalorizar a de outras pessoas. Ciente disso, lembre-se de que um argumento tem muito mais força do que um grito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário