terça-feira, 30 de setembro de 2014

CALA A BOCA LEVY!

Por Antônio Neves

Numa campanha disputadíssima como esta para Presidência da República, não dá pra perder tempo com candidaturas do nível da de Levy Fidelix (PRTB), principalmente o meu tempo, pois tenho muito em que pensar e fazer até domingo (5), mas vejam que me sobrou 0.45s (quarenta e cinco segundos) do meu tempo, que por sinal é o mesmo tempo que o desnecessário candidato tem para apresentar seu vazio de ideias nos programas eleitorais do rádio e TV, por isso, os utilizarei aqui para desonerar a sua estupidez eleitoral.

Levy Fidelix é o típico candidato de nenhuma expressão política ou eleitoral, mas na reta final da campanha aconteceu o que ele passou o tempo inteiro querendo e não acontecia; aparecer, afinal, como se destacar numa campanha pra presidente da república sem ter o que dizer, tão pouco o que mostrar? E não é pelo pouco espaço de tempo que lhe foi destinado no horário eleitoral, mas pelo vazio de suas ideias e pela falta de conhecimento do que é verdadeiramente o Brasil e o povo brasileiro.

Aventureiro de primeira viagem, daqueles tipos que brada contra tudo e contra todos, na velha tentativa do – “vai que cola” -, Levy é o tradicional coxinha de períodos eleitorais, um célebre nanico (ou seria, um cérebro nanico?), que faz parte de uma legenda partidária que existe apenas para, de alguma maneira, nos moldes tradicionais da velha política brasileira, barganhar um toma-lá-dá-cá no meio dos holofotes eleitorais.

E na reta final da campanha Levy conseguiu seus cinco minutos de destaque, mas da forma menos honrosa possível, quando no debate promovido pela TV Record no último domingo (28) o mesmo destilou sua ignorância histórica, camuflada no seu preconceito de classe média ociosa e atacou, por puro oportunismo midiático através de manifestações que beira o terrorismo eleitoral, toda a comunidade LGBT, com posições homofóbicas e acintosas, digna de ser repudiada sem, porém, lhe ser dado tanto destaque, porque, por isso, e conforme ele premeditou agora esta na mídia.  Certamente, se achar quem lhe dê cabimento, vai repetir a fórmula no debate da rede Globo, na próxima quinta-feira (2).

Mas tudo bem, por essa cagada, apesar deste blog não ser sanitário, o inútil candidato Levy Fidelix ganhou até a honra de ser destaque neste texto, escrito em 0.45s, mas o escrevi só pra expressar que presidenciáveis como ele e mais uns dois que desfilam no limiar da ignorância política em meio à importância que é o cargo de presidente da república, ainda conseguem provocar a minha repugnância, simplesmente porque quando me deparo diante de perfeitos analfabetos políticos como esses, tenho que vomitar nem que seja as palavras.

Por fim, uma sugestão de marketing ao invisível candidato: Cala a boca Levy!

Nenhum comentário:

Postar um comentário