segunda-feira, 4 de agosto de 2014

PARA ONDE DEVE CAMINHAR O ENSINO FUNDAMENTAL SE NÃO FOR PARA O ENSINO SUPERIOR?

Crise na educação de Caicó (Fundamental e Superior) escancara, mais uma vez, o descaso e despreparo da classe política local para dá soluções aos graves problemas do ensino público

  A Câmara Municipal de Caicó mais uma vez dá sinal de o quanto está despreparada para discutir problemas complexos como educação e escola públicas, sejam de qualquer nível de ensino. Ao seu redor, nas suas gestões parasitárias, esconde-se a gestão do prefeito, do governo do estado e seus auxiliares mais diretos.

  Garroteada pela pressão de setores desinformados da sociedade quanto ao assunto educação e escolas públicas, setores estes instigados por parte de uma mídia que entende muito menos ainda de educação; a Câmara não consegue, por puro desconhecimento, se aprofundar na problemática do ensino público municipal e bem menos na demanda que impõe uma crise funcional do Ensino Superior local. Porém, elementos oferecidos ao longo dos últimos dez anos são mais que suficientes para orientar a questão e favorecer um debate mais maduro e objetivo. Infelizmente não é isso que acontece, o discurso é elementar.

  As falas dos ilustres vereadores que se aventuraram entrar no tema só serviram para mostrar que, pela linha do debate oferecido, confrontando os dois níveis essências de ensino: Fundamental e Superior, só demonstra o despreparo que a maioria da classe política da nossa cidade preserva, mantendo sempre uma tendência proselitista de encarar os fatos, corroborando para a manutenção de um discurso vazio que alimenta o corporativismo social, desfilando num indo e vindo sem apresentar nada de concreto para os problemas que se acumulam.

  Crianças, jovens e adultos, pais, governos, educadores e classe política em geral, em pleno exercício de atividade escolar e de defesa da escola pública e de qualidade, precisam saber técnica, pedagógica e politicamente falando, que não se chega ao Ensino Superior se não se trilhar, primeiro, por um Ensino Infantil e Fundamental público de qualidade, inclusivo e democrático.

  As discussões sobre estruturação, construção e instalação de escolas públicas sejam municipais, estaduais ou federais do ensino Infantil, Fundamental, Médio ou Superior, está além de tudo o que já foi dito até então sobre esta celeuma que se criou sobre doação de terreno para escolas. A problemática é bem mais grave e remonta outras movimentações, inclusive de ordem administrativa e política que, os que hoje estão nas ruas, na imprensa e nas redes sociais “lutando” e reivindicando, ignoram.

  A forma como o debate sobre este tema está sendo levado para o senso comum de uma população carente de inúmeras políticas públicas no âmbito da educação, omite uma série de questões que a própria sociedade caicoense desconhece, ou finge não saber. No topo, o que há de real é que, a educação pública do Ensino Infantil e Fundamental do município de Caicó está explicitamente falida na sua estrutura física e funcional, numa expectativa de não ter, em médio prazo, por pura falta de planejamento e gestão proativa, nenhuma solução.

  A instituição UERN, no seu justo direito de reivindicar melhorias para avançar na oferta de um ensino público e de qualidade, não pode se deixar guiar por um discurso primário corporativo ao fazer assombro para a população em dizer que a Instituição poderá sair de Caicó para outras localidades, caso não seja alocada em local mais apropriado. O argumento por esta lógica apequena a dimensão do que significa para a região uma instituição de Ensino Superior. Os problemas da UERN e suas instâncias de ensino, tanto quanto do Ensino Fundamental em nossa cidade vão além destas questões pontuais e se deparam com situações e problemas bem mais profundos que há anos estão sendo jogado para debaixo do tapete, lugar que encobre a inércia e o descaso governamental e administrativo de vários atores do passado e do presente.

  Escondido e intocável, por trás do despreparo administrativo e da falta de planejamento sobre toda esta pauta está o prefeito Roberto Germano, principal causador de todo este conflito, exatamente por não ter tido a desenvoltura de discutir com todas as partes interessadas, o mérito do problema, ficando com isso sem apresentar de forma objetiva e concreta as devidas soluções para dar vida e sobrevida a um sistema educacional que há anos agoniza em todas as suas modalidades de ensino, prejudicando, verdadeiramente, uma das principais ferramentas para o desenvolvimento humano, social e educacional de uma das mais pobres cidades do Rio Grande do Norte – Caicó.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário