segunda-feira, 11 de agosto de 2014

FIDEL CASTRO ASSINA MANIFESTO INTERNACIONAL EM DEFESA DA PALESTINA


Para Fidel Castro, os ataques israelenses a Gaza são uma "repugnante forma de fascismo". Foto: Granma

O jornal Granma informou no sábado (9) que o líder da Revolução Cubana, Fidel Castro, assinou o manifesto internacional "Em Defesa da Palestina", que exige que Israel cumpra com as resoluções da ONU e se retire de Gaza, Cisjordânia e Jerusalém.

O documento pede aos governos de todo o mundo para exigir que Israel cumpra as resoluções do Conselho de Segurança da ONU, de acordo com a resolução de 1967, disse o jornal.

Promovido pela Rede de Defesa da Humanidade, o texto também foi assassinado pelo presidente da Bolívia, Evo Morales; o escritor uruguaio Eduardo Galeano, o Prêmio Nobel argentino Adolfo Pérez Esquivel, o poeta cubano Roberto Fernández Retamar, a bailarina cubana Alicia Alonso, a escritora americana Alice Walker e o compositor cubano Silvio Rodríguez, entre outros artistas, políticos e intelectuais.

Afastado do poder em 2006 por um problema de saúde, Fidel se dedica desde então a escrever artigos e, esta semana, publicou um texto no qual classifica os ataques israelenses a Gaza como uma nova "forma de fascismo".

Israel atacou pelo menos 30 alvos no último sábado (9), na Faixa de Gaza, onde cinco palestinos foram mortos em um conflito que entrou no seu segundo mês, com perspectivas incertas para as negociações no Cairo. A violência envolvendo Israel e o Hamas em Gaza continua após o término dos três dias de trégua humanitária. Desde seu início em 8 de julho, a incursão israelense matou mais de 1,8 mil palestinos, a maioria civis. Do lado contrário, houve 67 mortes, a maioria dos soldados.

Da redação do Portal Vermelho,
Com informações do Granma e de agências

Nenhum comentário:

Postar um comentário