terça-feira, 19 de agosto de 2014

COMEÇOU O HORÁRIO ELEITORAL. É PRECISO SABER OUVIR, SABER ANALISAR E SABER VOTAR.

Por Antônio Neves

Assisti aos primeiros programas eleitorais que foram ao ar hoje pelo rádio e televisão, onde se apresentaram os candidatos a presidente e deputados federais. Mas o que me chamou mais a atenção foram às propostas e os discursos xenófobos, com tendências autoritárias e de abuso de poder da maioria dos candidatos a deputados federais de vários partidos nanicos. Muitas das ideias apresentadas se colocadas em práticas por estes senhores, caso viessem a ser eleitos, significaria sério risco a própria democracia brasileira e um verdadeiro retrocesso aos direitos humanos, políticos e sociais conquistados.

Propostas como a privatização geral dos serviços públicos do Estado, redução da maioridade penal para 14 anos, prisão perpétua, retorno a condição de total dependência e subserviência ao capital estrangeiro, repressão contra manifestações, aprovação de leis homofóbicas e proteção ao latifúndio, foram apenas algumas propostas absurdas apresentadas no primeiro dia de programa pelos ilustres candidatos a Câmara dos Deputados. Imagine o que ainda vem por ai!

Isso significa e serve de alerta para que o eleitor e cidadãos brasileiros possam fazer a leitura e análises exatas do tipo de pensamento de país e modelo de sociedade que parte desses que se dizem querer defender as “causas do povo” em nome de uma mudança confusa e repressora, defende, ao apresentarem propostas confusas e oportunistas deste tipo, motivadas pela ignorância e despreparo para ser parte dessa representação, assumindo um comportamento político que vai à contramão do que representa ideias avançadas e aceitáveis do ponto de vista da evolução humana e do desenvolvimento social e cultural da sociedade que queremos construir num país complexo como o Brasil.

Propostas como as que ouvi hoje no primeiro programa eleitoral no rádio e TV, por parte de alguns candidatos a deputados, mostrou-me o quanto eles são inexpressivos, intelectualmente despreparados, e politicamente ignorantes ao elaborarem suas propostas ao eleitorado, tanto quanto os partidos políticos que fazem parte, principalmente os da direita, com suas interpretações saídas da casa grande, defendendo um modelo de sociedade autoritária, privatista, individualista, preconceituosa, subserviente e machista. A maioria das propostas exposta demonstra que, se colocadas em práticas seria nada mais do que um retrocesso em torno dos direitos e garantias constitucionais já conquistados ao longo das décadas, resultado das lutas e o esforço conjunto daqueles que, muitos, deram a própria vida para nos garantir as liberdades que temos hoje, entre tantas, a democracia.

Diante a tantas contradições de muitos candidatos, o eleitor precisa não só ser crítico, mas também exigente para filtrar as baboseiras que muitos vão destilar no horário eleitoral, comícios e debates; algumas pessoas acharão engraçado, outros não terão a noção exata do que isso tudo significa, mas precisamos entender que política e eleição são coisas sérias e o Brasil é muito maior que os interesses de um punhado de deslumbrados que pouco ou nada entendem de povo, sociedade organizada, bem-estar-social e desenvolvimento humano com democracia e participação cidadã, igualdade de oportunidades, solidariedade e debate público.

Por isso é bom ficarmos atentos, pois a depender de muitas propostas que surgirão se levadas a sério pelo eleitor desavisado, a democracia estará correndo grande risco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário