quarta-feira, 28 de maio de 2014

SERÁ QUE A SUA DEPRESSÃO NÃO VEM DA INTERNET?


Há quem fique deprimido porque é ignorado pelos amigos das redes sociais

Por Eduardo Prestes 
Folha Universal saúde edição 1155

É fato que pessoas de todas as idades utilizam as novas tecnologias como celulares e internet no seu dia a dia. Entretanto, há algum tempo, os especialistas apontam que a utilização excessiva das redes sociais pode levar à depressão. O 2º Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), divulgado recentemente pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), aponta que mais de 21% dos brasileiros de 14 a 25 anos têm sintomas indicativos da enfermidade. Essas são informações que levantam uma questão: até que ponto os recursos tecnológicos atuais são benéficos ou não ao homem?

Para o doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP) Álvaro Gullo, o fato de grande parte da juventude ser atingida por esse problema tem explicações: “Os jovens têm muitas expectativas na vida, mas lhes faltam conhecimento, formação e até o apoio da família. Além das transformações psicofísicas da adolescência, eles ainda têm uma ansiedade muito grande, com vontades insatisfeitas.” O professor afirma que, em virtude disso, muitos ficam frustrados, se deprimem e recorrem aos meios de comunicação de massa, como a televisão, os celulares e a internet, para preencher o vazio da vida moderna.

Para Gullo, as relações na web, na maioria das vezes, são fantasias. “Quando elementos referenciais, como a família, a escola, o lazer e o companheirismo, ficam fragilizados, são substituídos por falsas relações.” Outro efeito das redes, apontado por ele, são os compartilhamentos de posts. “Mandam e recebem mensagens o dia inteiro com linguagens cifradas. E não há crescimento intelectual, pois não existe diálogo real, com a troca de ideias e argumentos.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário