sexta-feira, 23 de maio de 2014

PROFESSORES ESTADUAIS E MUNICIPAIS DO RIO DECIDEM MANTER GREVE

Da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

Professores das redes municipal e estadual de ensino fazem assembleia, para definir os rumos da greve (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Professores das redes estadual e municipal de ensino do Rio de Janeiro decidiram, em assembleia na tarde de ontem (22), continuar a greve iniciada há dez dias. Após a deliberação - no Clube Hebraica Rio, em Laranjeiras - a categoria seguiu em passeata para o Palácio Guanabara, sede do governo estadual, com a finalidade de cobrar negociações com o governador Luiz Fernando Pezão e com o secretário estadual de Educação, Wilson Risolia.

Segundo o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe), 3 mil docentes participaram da assembleia e do ato. De acordo com a coordenadora do Sepe, Marta Moraes, durante o protesto, o subchefe de gabinete da Secretaria de Estado da Casa Civil, Cláudio Marques, recebeu uma comissão do sindicato e garantiu intervir para que uma audiência com o governador seja marcada.

“Até o momento, nada de oficial veio do governo para conceder uma audiência. Ele [governador] atendeu à categoria dos policiais civis com apenas um dia de paralisação, mas não atende uma categoria que trabalha com a formação dos filhos dos trabalhadores. Ele está negando aos nossos alunos o direito de uma resolução rápida desta greve. Isso é muito grave”, disse.

As duas redes de ensino reivindicam reajuste salarial de 20%, redução da jornada de trabalho para 30 horas semanais e um terço da carga horária para o planejamento de aula. Na rede municipal, os representantes da categoria têm uma audiência com a secretária municipal de Educação, Helena Bomeny, na próxima quarta-feira (28). O sindicato informa que no encontro com a representante do órgão, que ocorreu no último dia 9, ficou acordado que a secretaria intermediaria uma audiência com o prefeito Eduardo Paes.

A Secretaria Estadual de Educação informou, em nota, que apenas 246 de 75 mil professores faltaram hoje. Segundo a secretaria, o Sepe se recusou a negociar, “ausentando-se, inclusive, da audiência marcada pelo ministro Luiz Fux [do Supremo Tribunal Federal] e de outras reuniões do grupo de trabalho”.

A Secretaria Municipal de Educação também respondeu, em nota, que apenas 67 professores faltaram hoje, e ressaltou que todos os docentes que não apresentarem justificativa para a ausência terão os dias de falta descontados do salário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário