terça-feira, 13 de maio de 2014

POR QUE AS PESSOAS VÃO MORAR NAS RUAS?


De acordo com o IBGE, quase 2 milhões de brasileiros vivem em situação de rua

Por Ana Carolina Cury / Fotos: Demetrio Koch - Marcelo Alves

Eles estão pelas calçadas, dormindo em praças ou debaixo de viadutos, protegidos por papelões e barracas improvisadas. Sem endereço fixo, eles não têm almoços com a família aos domingos. Entre os caminhos que percorro diariamente na cidade de São Paulo, presencio inúmeras pessoas sentadas nas calçadas com um olhar distante, como se estivessem mirando o nada, vejo outras pedindo dinheiro no farol e muitas perambulando sem destino, falando palavras desconexas, talvez por estarem sob o efeito de algum entorpecente potencializado pela tristeza e solidão. Mas o que leva, afinal, alguém a ter essa vida?

Lembro-me que era uma quinta-feira à noite e fazia frio na capital. Como repórter, a melhor forma que encontrei para saber como eles viviam, o que sentiam e o que os motivou a ir para as ruas foi perguntar para algumas pessoas que estavam vivendo nessas condições. “Minha mãe teve a mim e a meus irmãos na cadeia, eu fiquei no abrigo, mas não aguentei e fugi”, contou uma jovem de 23 anos, que, grávida, mora embaixo de uma ponte com outras pessoas. “Eu era técnico em eletrônica, perdi o emprego, o lar e estou aqui nas ruas”, disse, com lágrimas nos olhos e uma voz embargada, um homem que aparentava ter 40 anos.

Segundo a socióloga Luciana Bolognini Ferreira Machado, no cenário atual das cidades brasileiras, a questão da população em situação de rua é considerada um processo de exclusão. “Envolve fatores estruturais como ausência de moradia, inexistência de trabalho e renda, dependência química, transtornos mentais, rompimento dos vínculos familiares, perda de todos os bens, entre outras situações”, revela.

Números que representam vidas

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quase 2 milhões de brasileiros vivem em situação de rua. E, segundo a Organização das Nações Unidas, existem cerca de 100 milhões de pessoas vivendo à margem da sociedade nos grandes centros urbanos em todo o mundo.

Folha Universal edição 1153

Nenhum comentário:

Postar um comentário