quinta-feira, 17 de abril de 2014

PARA ONDE CAMINHAM OS JOVENS?


Saiba por que mais de 16 milhões de jovens brasileiros estão caminhando para o nada

Por Andre Batista

Milhões de jovens brasileiros estão caminhando para o nada. É isso o que aponta o relatório “Trabalho Decente e Juventude na América Latina: Políticas para Ação da Organização Internacional do Trabalho (OIT)”. Divulgado há pouco mais de um mês, o estudo aponta que 16,5 milhões dos jovens brasileiros entre 15 e 24 anos não trabalham nem sequer procuram por empregos.

A pesquisa realizada pela OIT vai ao encontro dos dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no final de 2013. Por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), o IBGE chegou à conclusão de que 19,6% da população entre 15 e 29 anos não são estudantes ou trabalhadores. Então, o que eles fazem o dia inteiro?

Por uma questão cultural, o brasileiro é bastante apegado à família. Com o costume recente dessa nova geração de empurrar o casamento para mais tarde, a maior parte desses 16 milhões de jovens é sustentada pelos pais. Dessa forma, os jovens se acostumam com o conforto recebido em casa e, acomodados, entram para o grupo cada vez maior de pessoas que não trabalham nem estudam.

Por mais que muitos digam que isso aconteça por falta de incentivo do governo ou do setor privado, isso não é totalmente verdade. Atualmente, existem diversas formas pelas quais é possível aperfeiçoar a educação ou entrar para o mercado de trabalho, como os programas de emprego Jovem Aprendiz e Primeiro Emprego, sites de estágios, além dos programas de incentivo ao Ensino Superior, como Fies, Prouni e Sisu.

Obviamente, se comparados com outros países-modelo na educação, a exemplo da Alemanha, em que, além das disciplinas comuns, os alunos também contam com cursos profissionalizantes que complementam a grade curricular, no qual é preciso escolher um segmento para se especializar assim que o estudante sai da escola. De fato, o brasileiro está em desvantagem.

Em Folha Universal

Nenhum comentário:

Postar um comentário