sexta-feira, 22 de abril de 2016

PROBLEMAS COM O CONSUMO DO ÁLCOOL

Inflamação crônica do fígado, a cirrose atinge principalmente homens com mais de 45 anos e causa 20 mil mortes por ano no País
Uma das sete principais causas de morte em países do Ocidente, a cirrose hepática está entre as dez doenças que mais matam no Brasil, com 20 mil óbitos por ano. Mais comum em homens com idade superior a 45 anos, é causada principalmente por consumo excessivo de álcool e obesidade, mas pode ser desenvolvida a partir de todas as doenças que levam à inflamação crônica do fígado, como hepatites virais e distúrbios do colesterol.
A consolidação da doença segue um processo crônico, progressivo e silencioso de inflamações no fígado até formar múltiplos nódulos. Segundo explicação da cirurgiã gastro-hepatologista Eloiza Quintela, quando os sintomas ficam mais claros e a pessoa descobre que a inflamação avançou, o fígado já não funciona bem e o tratamento apenas vai tentar preservar o órgão ao máximo. “O que é assintomático é a fase inicial, que dura de 1 a 15 anos se desenvolvendo, de forma silenciosa”, afirma ela, acrescentando que, na fase terminal, a doença exige o transplante do fígado.
O consumo do álcool segue como um dos grandes vilões da cirrose e não há nível seguro para a ingestão de bebidas, diz a cirurgiã. “Algumas pessoas são extremamente sensíveis aos efeitos do álcool, enquanto outras parecem ser completamente imunes. Em regra geral, quanto maior a quantidade e o tempo de consumo, maior a chance de desenvolver danos ao fígado.”
De acordo com Eloiza, o alcoolismo atinge 15% da população brasileira e pode causar outros problemas além da cirrose, como câncer na boca, língua e esôfago. Entre os primeiros alertas para a cirrose estão perda da libido, aumento das mamas (nos homens), fraqueza, inchaço nas pernas e varizes, alteração nas cores da urina (escura) e das fezes (clara) e câimbras frequentes. Já em um estágio mais avançado, a pessoa com cirrose pode apresentar sinais mais evidentes como palmas das mãos avermelhadas; unhas mais anguladas; ascite (a popular barriga-d’água, que é o acumulo de líquido no abdômen); varizes aparentes e um amarelamento na cor da pele e dos olh
A abstinência total ao álcool e a vacina contra a hepatite B ajudam a evitar a cirrose. Além disso, Eloiza recomenda alimentação saudável e uso controlado de medicamentos, especialmente corticoides. Ela sugere, ainda, a realização periódica de exames médicos.
Fonte: Folha Universal

Nenhum comentário:

Postar um comentário