quarta-feira, 31 de agosto de 2016

POESIA EM TEMPOS DE ELEIÇÃO (VOCÊ NÃO ME ENGANA MAIS)


VOCÊ NÃO ME ENGANA MAIS
(Pra quem votou em candidato enrolão, na última eleição!)
Por Antônio Neves 

Eu me lembro de você
Todo cheio de promessa
Dizendo está com pressa
Pra lutar por sua gente.
Pediu meu voto, eu dei
Depois me decepcionei
Pois você diz e não faz
É candidato que só mente
Agora estou consciente
Você não me engana mais.

Você disse ser fiel
Que cumpria compromisso
Depois levou um sumiço
Com sua cara canhestra.
As promessas garantidas
Foram todas desmentidas
Seu credo andou pra trás
Fazendo o povo de besta
Trocando votos por cesta
Você não me engana mais.

No tempo da eleição
Não largava do meu pé
Em você eu botei fé
Achei-te bem verdadeiro
Só depois caiu a ficha
Tens rabo de lagartixa
E jeito de Barrabás
Mentiroso e fuxiqueiro
Seo candidato fulêro
Você não me engana mais.

Prometeu boa escola
Hospital e calçamento
Fez até um juramento
De ao povo dá guarida.
Depois que passou o dia
Nada teve garantia
Eu não esqueço jamais
Fez discurso lá na praça
Trocou votos por cachaça
Você não me engana mais.

Hoje vivo novamente
Igual ao tempo passado
Depois vi, deu tudo errado,
Só você que se deu bem.
Eu votei acreditando
Que a coisa tava mudando
E que tu eras bom rapaz
Mas tu és um enrolão
Não negocio voto não
Você não me engana mais.

Justo nessa eleição
Ai você chega de novo
Querendo me fazer de bobo
Pra meu voto conquistar.
Com seu sorriso faceiro
Sua mala de dinheiro
E esse seu leva-e-traz
Viro a cara, fecho a porta
Não sou nenhum idiota
Você não me engana mais.

Sei que você no poder
É dez pra tu e um pra eu
O que você prometeu
Há tempos tá esquecido.
Mas eu posso esperar
Para nunca mais errar
Pois sou cidadão de paz
Mesmo assim arrependido
Vou repetir destemido
Você não me engana mais.

Vou dizer pra todo mundo
Que candidato é você
O que faz pra se eleger
Sempre em primeiro lugar.
Como faz pra manipular
Sem vergonha nem pudor
Com o seu jeito mordaz
O voto do eleitor
Com essa voz de locutor
Você não me engana mais.

O povo dessa cidade
Já conhece seu pantim
Você enganou a mim
Mas aprendi a lição.
Sei que tem muito cidadão
Descalço de pé no chão
Que ainda é incapaz
De saber votar direito
Mas meu voto não tem jeito
Você não me engana mais.

Procure seus pareceiros
O povo da sua laia
Senão te dou uma vai
Seu comedor de capim.
Candidato sem responsa
Bicho amigo da onça
Traiçoeiro voraz
Fique bem longe de mim
Não gosto de gente assim
Você não me engana mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário