segunda-feira, 18 de agosto de 2014

ESTE É HENRIQUE ALVES, ELE QUER SER GOVERNADOR DO ESTADO, ENTÃO VAMOS APRESENTÁ-LO AO ELEITOR


Henrique Alves pretende coroar sua trajetória política como governador
Por Antônio Neves

O Deputado Federal Henrique Alves (PMDB), membro de uma das mais tradicionais e poderosas oligarquias políticas do país, alojada no Rio Grande do Norte, entrou na vida pública muito cedo, aos 21 anos já ganhara do seu pai, Aluísio Alves o primeiro mandato de deputado federal, dado como presente para que o jovem mantivesse uma ocupação a altura do nível do poder familiar. Parlamentar com mais mandatos ininterruptos na Câmara dos Deputados, Henrique por anos foi apenas um anônimo, um playboy que vivia à sombra do pai, e não tinha nenhuma preocupação com eleições, pois se elegia sob rígidos critérios estabelecidos nos currais eleitorais pelo interior do estado, onde voto lhe era dado quase como uma obrigação, uma forma gratuita de agradecimento a liderança perpetuada pela imagem do seu pai que exercia forte poder sobre as lideranças locais do interior potiguar.

Toda a trajetória política de H.A tem sido até hoje no PMDB, partido que até os idos de 1985 era o mais expressivo no cenário político nacional devido à luta combativa contra a ditadura militar que estava instaurada no país. Só que depois da redemocratização, o PMDB adotou perfil de legenda tradicionalista ao estilo republicano conservador. Partido clientelista, governista e fisiologista, o PMDB continua dominado pelas velhas figuras oligarcas, principalmente nos estados do Nordeste, como: Maranhão (família Sarney), Pará (Família Barbalho) Alagoas (Família Calheiros) e Rio Grande do Norte (família Alves).

O PMDB, apesar de ainda ser o maior partido do país em número de representantes no Congresso Nacional, tornou-se um partido sem identidade ideológica, não se define nem da esquerda, nem da direita, muito menos do centro, prefere ficar do lado do poder, seja lá com quem for, e com isso manter o controle dos interesses clientelistas da legenda através das estruturas dos governos que apoia. Tem sido assim desde o governo Sarney (1985-1989) Collor/Itamar (1990-1994) Fernando Henrique (1995-2002) e agora com Lula/Dilma (em nível nacional o PMDB é aliado do PT, e o vice-presidente da República, Michel Temer é peemedebista), sempre mantendo uma parte no governo, alimentando o Sistema e outra nas escaramuças da “oposição”, numa forma de pressão para garantir as benesses que o poder pode oferecer e manter a força política de seus caciques e correligionários.

E no meio dessa engrenagem está Henrique Alves, que vem mantendo o controle do PMDB potiguar sob as mesmas regras que rege os interesses do PMDB nacional, através do aparelhamento de cargos e outras relações em troca de apoios aos governos federal, estadual e nos municípios que controla, num comportamento corriqueiro de oportunismo para garantir a sua perpetuação no poder.

Hoje, o filho de Aluísio Alves é um dos homens fortes em Brasília, (ou pelo ao menos tem a pretensão de parecer ser). Transita no Congresso Nacional e na Esplanada dos Ministérios com desenvoltura, mas isso não se traduz em benefícios para o desenvolvimento do estado potiguar, uma vez que suas atividades estão ligadas não ao interesse público, mas sim, as velhas práticas republicanas para lhe garantir a ostentação de liderança através da profissionalização na política, isso tudo, porque seu mandato não passa de uma ocupação personalista de poder. Agora, Henrique Alves pretende ser governador do Rio Grande do Norte. O que para o povo pode não ser uma boa escolha!

Ou seja, o deputado Henrique Alves que não conhece outra forma de vida senão a que o poder lhe oferece há mais de 40 anos, não pretende sob qualquer hipótese sair de cena, afinal, esta é sua profissão e o governo seu principal objetivo neste momento.

3 comentários:

  1. Henrique? Aquele bacana que diz que tem poder, porque nas vésperas de eleição aparece nas cidades da região com o famoso voo do bacurau só para lembrar ao povo que ele sabe levantar a poeira da caatinga? Não! Não conheço essa pessoa!

    ResponderExcluir
  2. Au, au, au... Tem bacurau passando mal. Suco de laranja faz um bem danado.

    ResponderExcluir
  3. Este senhor tem um grande sonho: Ser governador. Para ele sonho, para nós, a continuidade do pesadelo Alves.

    ResponderExcluir