quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

ELEIÇÕES EM CAICÓ: QUANTO CUSTA UMA ADESÃO? NOVAS QUESTÕES...

por Antônio Neves

Uma pergunta que cada eleitor deveria fazer nestes tempos pré-eleitoral é: quanto custa uma adesão de partidos a candidaturas de A ou B, por parte de “lideranças” e outras forças representativas da sociedade? O eleitor/cidadão está sendo ouvido, ou serve apenas para votar sem maiores critérios? Qual o verdadeiro valor do seu voto?
É comum nesses tempos de "aberturas de janelas" permitidas pela justiça eleitoral, ocorrerem trocas de partidos, de legendas e declaração de voto e apoios a certos candidatos. Mudanças no quadro político, faz parte da transição democrática, e é também o exercício da livre escolha, mas alguns ingredientes são bastante confusos e geram certos questionamentos por parte do cidadão eleitor, como por exemplo: quanto custa determinadas adesões onde alguns, até mesmo pela contradição do discurso do passado, agora são obrigados a desdizer o que se dizia antes, apenas porque mudou de lado?
Quanto será que custa renegar princípios, rasgar o bom senso, abjurar a ética e renunciar a dignidade em nome de acordos políticos meramente pessoais, familiares ou de determinados grupos partidários com seus donos, cores de bandeiras, chefes e alianças, ambições de poder e promessas eleitorais oportunistas? São essas contradições que colocam em choque e afrontam a falsa moral que circula nas faces dos bons moços(as) que, somente a cada quatro anos aparecem querendo reinventar a fórmula da água benta que purificará a farsa montada em torno de certos projetos políticos-eleitorais para enganar o povo e o eleitor. 

Alguns poderosos e outros agregados da política local já estão transitando pelas mídias, programa de rádio e nos porões da cidade com a mala encantada de promessas, garantias de eleições fáceis e espaço nas escaladas do poder municipal para quem vier, a troco do que se oferecer, apoiar determinadas candidaturas de prefeito e vereadores, tudo sob o comando do poder econômico e do aparelhamento da máquina administrativa. Na verdade, do ponto de vista dos princípios, da ética e do bom senso de muitos desses agentes e aderentes, a política local ainda é celeiro para grandes negociatas feitas por debaixo do pano. 
O que poucos percebem, por pura cegueira política, é que muitos desses partidos tradicionais com suas bandeiras desbotadas ou seus pré-candidatos viciados, que migram a cada eleição de um lado para outro com as mesmas desculpas de sempre, fazem de suas atitudes movimentos de espertezas pelos quais esperam que a população não perceba ou não entendam tudo o que está em jogo, como se fosse nada mais que simples decisões políticas normais e aceitáveis decididas pelos seus "líderes", mas que só aparecem em épocas eleitorais para favorecer seus projetos pessoais e as vitórias imediatas de seus candidatos ou de suas candidaturas, que depois de eleitas, não tardam a dá as costas ao povo. O que falta mesmo é explicar de forma clara, qual o preço de tudo isso, pois muitos candidatos não passam de meros oportunistas e aproveitadores.
Com o início do ano eleitoral máscaras começam a cair, tudo converge para manter a mesma realidade (antes tão criticada). O que vale mesmo são os interesses imediatos, candidaturas criadas para manter os privilégios das velhas famílias tradicionais e elevar o status de poder e dominação dos seus chefes, caciques e neocoroneis. Tudo em nome das mesmas alegações de 40 anos atrás. O povo que se F...
Acolho àquela frase de sabedoria popular que diz: “pode-se enganar o povo por um tempo, mas não os enganará a vida toda”. É sempre bom ter cuidado com a inteligência e a capacidade de questionamento e mudança dos cidadãos, pois em cada um sempre surge uma primavera cheia de perguntas, respostas e conflitos. E as urnas às vezes são impiedosas e as mudanças não tardarão!

3 comentários:

  1. O pior é que não existe mais dois sistemas politiqueiros, distintos em caico, o que existe é uma CORPORAÇÃO DO verde e vermelho, prova disso foi que nos últimos 4 anos não se viu oposição na camara de vereadores de caico. Na época da eleição a CORPORAÇÃO se divide em dois sub-sistemas, e depois das eleições, tudo volta a ser como antes no QUARTEL DE ABRANTES. Essa CORPORAÇÃO VERDE-VERMELHA de caico é muito parecida com as CORPORAÇÕES COMERCIAIS que temos no Brasil, como: COLGATE-KOLINOS, BRAHMA-ANTARTICA e SADIA-PERDIGÃO.

    TROVA DA REALIDADE NA NOSSA POLITICAGEM.

    QUEM CHEGA LÁ NA POBREZA,
    E COMPRA VOTO POR TOSTÃO.
    SE ELEITO, COM CERTEZA,
    VAI ROUBAR MAIS DE UM MILHÃO.

    ResponderExcluir
  2. NINGUÉM ESTÁ PREOCUPADO
    AO ELEITOR RESPEITAR
    O PROBLEMA SÃO OS ACORDOS
    E QUEM VAI SE BENEFICIAR
    SABEM QUE PARA SE ELEGER
    SÓ PRECISA DINHEIRO TER
    PARA SEUS OS VOTOS COMPRAR

    E ASSIM A POPULAÇÃO
    MISERÁVEL VAI FICAR
    POIS QUANDO VENDEMOS O VOTO
    NÃO PODEMOS MAIS COBRAR
    O POLÍTICO JÁ PAGOU
    VAI JUNTAR O QUE GASTOU
    PARA A PRÓXIMA REELEIÇÃO

    FICO INDIGNADA
    COM ESSA SITUAÇÃO
    UMA SOCIEDADE PASSIVA
    QUE SE VENDE NA ELEIÇÃO
    A CIDADE REGREDINDO
    OS JOVENS DAQUI SAINDO
    PRA TER MELHOR FORMAÇÃO

    A POBREZA AUMENTANDO
    E MUITA DESIGUALDADE
    A CORRUPÇÃO É GRANDE
    É UMA CALAMIDADE
    A SAÚDE NIGUMÉ FALA
    EDUCAÇÃO NA SENZALA
    NA NOSSA SOCIEDADE
    (MARIQUINHA)

    ResponderExcluir
  3. Vou esperar a turma da ex-esquerda, PT, PcdoB virem pedir votos com essa história de projeto polítco. Já se foi o tempo em que o PcdoB tinha um perfil de esquerda quando Canindé de França foi vereador aqui na cidade. Hoje em dia esta esquerda que está ai, vazia de propostas alternativas e ideologicamente frágil, só serve pra segurar bandeira nos palangues das famílias que mandam no poder aqui na cidade. É constragedor ver estes dois partidos mendigando cargos e outras benéces pra poder decidir quem apoiar, e pior, é uma esuqerda que nem voto tem.

    Comunista rebelde da serra - Caicó

    ResponderExcluir