sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

PERDOAR É BOM PRA SAÚDE. DIZ ESTUDOS CIENTÍFICOS.

O estudo científico sobre o perdão explodiu na última década e pesquisas mostram que pessoas que perdoam sofrem menos ansiedade e depressão. Segundo Robin, durante recente Reunião Anual da Sociedade de Medicina Comportamental dos Estados Unidos, uma pesquisadora da Duke University Medical Center afirmou que os benefícios do perdão estão correlacionados com o aumento da função imunológica em pacientes com o vírus HIV.
“Guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra.” A frase do poeta e dramaturgo inglês William Shakespeare reproduz exatamente o efeito desse sentimento negativo, que é alimentado pelas más lembranças e que provoca até reflexos na saúde. Pessoas ressentidas comumente sofrem de gastrite nervosa, úlcera e tem mesmo mais disposição para desenvolver o câncer.
Compromete a autoestima e prende permanentemente a pessoa no papel de vítima, impedindo a superação do problema. Além disso, estudos recentes mostram o impacto de sentimentos negativos, como a mágoa e o rancor, no sistema cardíaco. A psicanalista Lindalva Moraes explica que a pessoa ressentida sente necessidade de alimentar a dor, fortalecendo a posição de injustiçada, e confirma que esses sentimentos negativos podem acabar influenciando numa piora da saúde, colaborando para o aparecimento de sintomas físicos e até de doenças graves, como o câncer. “Isso só começa a mudar quando a pessoa passa a analisar a situação, tentando entender se teve alguma culpa naquilo que aconteceu”.

3 comentários:

  1. Gostei!!!!!!!!!!!!!! não é só coisa de crente como dizem!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Sua observação vai de encontro à palavra de Deus! Muito pertinente para nossa reflexão!!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom gostei muito de seu estudo e acredito piamente nessa pequisa.

    ResponderExcluir