quarta-feira, 19 de agosto de 2015

FUGA DO MAGISTÉRIO E A DESVALORIZAÇÃO DO PROFESSOR.

    É sabido, cantado e defendido por políticos, intelectuais, educadores, pais, governos e tantos outros, que a educação é o cerne do desenvolvimento de qualquer país ou sociedade dita moderna. No entanto, no topo das contradições destas afirmações está o fato que a cada dia o desinteresse de profissionais habilitados para exercer a tarefa de Professor está cada vez mais crescente.

   A desvalorização profissional, os baixos salários, as péssimas condições de trabalho e a violência social existentes hoje, principalmente nas escolas públicas contra o professor são alguns dos motivos que vem afastando jovens do desejo de  ingressar nesta carreira.

    O magistério acabou ficando em descompasso com a maior parte do mercado de trabalho. Não é raro encontrar trabalhador com carga de estudos e qualificação técnica inferior à de um Profisssional da educação, mais com salários acima da média de um professor formado e pós-graduado, com especializações, mestrados e até doutorado. Em apenas cinco anos, entre 2005 e 2009, caiu à metade do número de estudantes que concluíram cursos de formação de Professores para o ensino básico.

   É comum hoje em dia nas salas de aulas, os alunos terem a profissão do magistério como referência de fracasso, sob a lógica de que, estudar não vale a pena, pois,  a partir do senso comum, de que vale estudar tanto para ser professor e depois ganhar uma miséria. É um argumento construído a partir da desvalorização do ensino e de suas perspectivas como oportunidade de crescimento e inclusão social e financeira do indivíduo. Como se não bastasse, ainda existe a falta de apoio da sociedade, que quase sempre estão dispostos a reprovar o Professor e suas políticas de reivindicações por melhorias para o ensino público.

2 comentários:

  1. PROFESSOR MARCOS DAMASCENO

    Caríssimo Professor Neves, agora entendi porque você sempre escreve a palavra professor com o "P" maiúsculo, é pela importância do papel que tem o Professor na construção da sociedade e do cidadão. Mas é triste saber que nas proximas décadas esta tão louvável profissão poderá definhar pela irresponsabilidade e descaso de sucessivos governos que neste país preferem investir em outra família da terminação "ÇÃO" que é a CORRUPÇÃO e não na EDUCAÇÃO.
    Parabéns pelo BLOG, muito bem feito.

    ResponderExcluir
  2. Eu mesma sou uma desertora!

    ResponderExcluir